Sábado, 06 de janeiro de 2018, 11h52
Justiça "cruel"
18 prisões barram saída do"comendador" João Arcanjo Ribeiro

DA REDAÇÃO

joão arcanjo ribeiro rindo

Para defesa, é "uma crueldade" da Justiça manter o ex-bicheiro João Arcanjo na prisão

Ex-chefe do crime organizado em Mato Grosso, João Arcanjo Ribeiro alimentou a esperança de ganhar a liberdade (progressão de regime) no fim do ano passado.

Mas, não foi desta vez – e parece que ainda vai demorar – que o ex-capo do jogo do bicho saiu pelo portão principal da Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá.

A suspeita era de que JAR não deixou a prisão em razão do recesso forense, no fim de 2017, que teria impedido a análise de um habeas corpus interposto em seu favor pela defesa.

Na verdade, há nada menos do que 18 prisões preventivas decretadas contra o ex-bicheiro pela juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

O “Comendador” só será beneficiado com o regime semiaberto – com a utilização de tornozeleira, por exemplo -, se esses 18 mandados de prisão forem revogados. As prisões são relacionadas a processos que apuram crimes contra a administração pública e lavagem de dinheiro. As informações são do Gazeta Digital.

A defesa de Arcanjo argumentou, no pedido de HC, que a Justiça, era “cruel” ao manter a prisão. Vale lembrar que o ex-bicheiro se notabilizou, nas décadas de 80 e 90, justamente pela crueldade como tratava seus adversários.


Fonte: Midia Jur |
Visite o website: http://midiajur.com.br/