Terça, 14 de novembro de 2017, 09h13
Cúpula da PF
Novo diretor teve forte atuação em Mato Grosso

DA REDAÇÃO

Eugenio Ricas

Eugênio Ricas já teve passagem por Mato Grosso, onde foi delegado da PF, no período de 2002 a 2003

A atual secretário de Controle e Transparência do Governo do Espírito Santo, o delegado federal Eugênio Ricas vai assumir a Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor), da Polícia Federal, divisão responsável por comandar as operações criminais da corporação, incluindo a Lava Jato.

Ricas já teve passagem por Mato Grosso, onde foi delegado da PF, no período de 2002 a 2003, com forte atuação no Grupo de Combate ao Crime Organizado. Ele substituirá Maurício Leite ValeixoMineiro, formado em Direito e pós-graduado em Ciências Criminais e em Inteligência de Segurança Pública, Ricas é delegado federal de carreira, já tendo atuado também no Espírito Santo e em Minas Gerais. Ligado ao PMDB, chefiou a Secretaria de Justiça do Espírito Santo, antes de assumir a Secretaria de Controle e Transparência.

Em 2012, o novo diretor da PF foi o único brasileiro, dentre mais de 260 chefes de polícia de todo o mundo, a cursar a sessão número 251 da National Academy do FBI, em Quantico, Virgínia (EUA), onde pós-graduou-se com nota máxima nas matérias Ética, Liderança e Tomada de Decisões, Inteligência e Contra-Inteligência, Estratégias de Combate e prevenção às Drogas, Terrorismo e Contra-Terrorismo e Técnicas de Interrogatório e Entrevistas

Além de investigações criminais contra a ordem econômica e o sistema financeiro nacional, Ricas responderá também pela apuração de crimes contra o meio ambiente, patrimônio histórico, direitos humanos, comunidades indígenas e contra a ordem política e social. Também estarão sob sua responsabilidade a coordenação das ações de combate ao tráfico de drogas e armas; o contrabando e a lavagem de ativos.


Fonte: Midia Jur |
Visite o website: http://midiajur.com.br/