Artigos
  • LUIZ GONÇALO DA SILVA
    O posicionamento do STF amplia a possibilidade de surgimento de novas empresas e de ampliação de postos de trabalho
  • LEONARDO CAMPOS
    Impôs derrotas acachapantes, renovou na medida de sua vontade e deixou claro suas prioridades mais imediatas
  • VICTOR MAIZMAN
    Para que o Executivo possa exigir a taxa do pagador de tributos, tal cobrança deve estar respaldada em lei
  • RITA DE CASSIA BUENO
    Na atualidade, é comum a ocorrência de erros de empresas que não realizam a devida atualização realizando cobranças de forma indevida
Últimas Notícias / ANTES DE AUDIÊNCIA

Tamanho do texto A- A+
09.06.2018 | 11h22
Bretas relembra frase a Lula e diz a Cabral: 'Juiz não é inimigo'
Nesta semana, magistrado ouviu ex-presidente como testemunha de defesa do ex-governador e falou da relevância política
GloboNews
O juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no RJ
GABRIEL BARREIRA
DO G1

Antes de interrogar o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, o juiz Marcelo Bretas comentou nesta sexta-feira (8) sobre outra audiência desta semana que causou polêmica. Na terça passada, Cabral convidou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a prestar depoimento como testemunha de defesa. Bretas se referiu a Lula como uma figura histórica da política e permitiu que o ex-governador conhecesse o neto recém-nascido.

Os comentários feitos por Bretas nesta sexta foram considerados por ele próprio como um desabafo, após ser criticado em redes sociais. Internautas o atacaram por considerarem que havia elogiado Lula.

"Só não bateram mais em mim por ter me deixado encontrar seu neto (na terça) porque houve um assunto mais importante que foi a conversa com o ex-presidente. Tem pessoas que confundem as coisas. Acham que juiz não tem que ser humano, que tem que ser máquina. Juiz é humano, mais do que qualquer um tem que ter respeitar a humanidade. Achei que o senhor não causaria mal nenhum a sociedade se encontrasse sua família", disse Bretas.

O magistrado disse ainda que trabalha há dois anos na Lava Jato, mas que antes disso repetiu o gesto com presos pobres. Ou seja, permitiu a visita de familiares.

"Cansei de pedir aos policiais que aguardassem aqui fora. Não fiz isso porque era o senhor não. O país está muito sensível politicamente. Nos tratamos com respeito, independentemente de ter condenado o senhor. Juiz não é inimigo de ninguém", completou.

Na semana passada, Bretas falou o seguinte para Lula ao encerrar a oitiva.

"Senhor Luiz Inácio, muito obrigado. Inclusive pela postura que se portou. O senhor é uma figura importante no nosso país, é relevante sua história para todos nós. Para mim, inclusive. Aos 18 anos estava aqui num comício na Avenida Presidente Vargas com um milhão de pessoas e eu estava lá usando o boné e a camiseta com seu nome".

Também nesta sexta-feira, Cabral admitiu a Bretas que seu grupo movimentou algo próximo de R$ 500 milhões, sendo R$ 20 milhões para uso pessoal.

 

Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2018
13.10.18 12h06 » A pedido da PGR, Fachin arquiva investigação contra Blairo Maggi
13.10.18 11h59 » Polícia prende, mas suspeito de matar filho é solto em audiência
13.10.18 11h49 » Corregedor-geral eleito garante continuidade do trabalho
13.10.18 11h37 » Prefeito de Juína é multado por falta de transparência
13.10.18 11h25 » Justiça absolve ex-secretário e servidor da Assembleia
11.10.18 18h34 » Terceirização irrestrita
11.10.18 18h04 » TCE determina indisponibilidade de bens de gestores do Impro
11.10.18 18h01 » Presidente do TJ pede vistas e julgamento contra juiz é adiado
11.10.18 17h55 » “Reduzir, de forma nenhuma; já estamos colaborando com o Estado"
11.10.18 17h48 » TCE anula ato da licitação do transporte público na Capital



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet