Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Tratamento diferenciado imposto pela Constituição será benéfico e não maléfico às empresas de pequeno porte
  • FELIPE GUERRA
    Infelizmente, hoje os cidadãos mostram-se incapazes de fazer coisas que não lhes tragam gratificação pessoal
J. do Trabalho / JUSTIÇA DO TRABALHO

Tamanho do texto A- A+
23.01.2017 | 18h00
Prazos e atendimento voltam ao normal a partir desta segunda
Prazos suspensos no período de 7 a 20 de janeiro para realização de judicial
Reprodução
Também voltou ao normal o atendimento ao público, que estava restrito aos casos de urgência
DA ASSESSORIA

Os prazos processuais e regimentais na Justiça do Trabalho em Mato Grosso voltaram a correr normalmente a partir desta segunda-feira (23). Eles estiveram suspensos no período de 7 a 20 de janeiro para possibilitar que as unidades internas realizassem a inspeção judicial, com atualização e revisão do cadastro de partes e advogados e o levantamento dos saldos existentes em contas judiciais.

Também voltou ao normal o atendimento ao público, que estava restrito aos casos de urgência, bem como a realização de audiências e sessões de julgamento das Turmas do TRT e do Tribunal Pleno (Veja aqui o calendário das sessões de 2016).


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2017
18.09.17 15h41 » TST equipara assessor de imprensa a jornalista para pagamento de horas extras
Agosto de 2017
24.08.17 18h10 » Tribunal do Trabalho de SP aceita intermediar acordos pelo WhatsApp
23.08.17 17h51 » Ex-funcionária mente em ação trabalhista e é condenada a pagar multa
15.08.17 15h51 » Homem é indenizado após ficar impotente temporariamente
14.08.17 15h49 » Empresa não pode suspender planos de saúde de afastados por doença
01.08.17 09h49 » Férias: atraso de 2 dias não exige valor em dobro, diz TST
Julho de 2017
31.07.17 09h56 » Trabalhador que mentiu sobre demissão é condenado por litigância de má-fé
29.07.17 08h52 » Quem pede demissão grávida não tem direito a estabilidade, decide TST
28.07.17 15h04 » Demitida pelo WhatsApp será indenizada em R$ 10 mil
18.07.17 17h29 » Empresa de construção é condenada por não contratar aprendiz



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet