Artigos
  • JOAQUIM SPADONI
    Os salários que são pagos com nosso dinheiro devem ter critérios claros, pautados e limitados em Lei
  • RENATO NERY
    Apesar dos grande avanços, está-se liquidando o que ainda resta da nobre e festejada profissão
J. do Trabalho / CONSÓRCIO

Tamanho do texto A- A+
12.12.2016 | 15h14
Empresa faz acordo para quitar débitos trabalhistas
Consórcio dispensou cerca de 200 empregados sem quitar direitos trabalhistas
Reprodução
Acordo visa quitar débitos contraídos por consórcio formado pelas empresas Mendes Junior, Enpa e Contecnica
DA ASSESSORIA

A Coordenadoria de Apoio à Solução e Execução de Conflitos do TRT de Mato Grosso homologou recentemente um acordo para quitação dos débitos trabalhistas contraídos pelo consórcio formado pelas empresas Mendes Junior, Enpa e Contecnica com doze trabalhadores da região de Cuiabá.

O consórcio dispensou cerca de 200 empregados no estado não quitando verbas rescisórias, diferenças salariais, FGTS, entre outros direitos. Vários trabalhadores procuraram a Justiça entre 2015 e 2016 para tentar receber o que lhe eram devidos, a maioria deles nos municípios de Rondonópolis e Jaciara.

Como duas das três empresas estão em recuperação judicial, a Contecnica se prontificou a pagar os débitos. Como não tinha todo o dinheiro em caixa para quitação em uma única vez, se comprometeu a destinar 150 mil reais mensais, sendo 27 mil só para os processos que tramitam nas varas da capital.

Além disso, a empresa assumiu o compromisso de destinar 18% de seu faturamento líquido durante os meses que forem necessários para o pagamento total das dívidas. Em contrapartida, ela conseguiu reduzir o valor das multas pelo descumprimento dos acordos anteriormente fechados para o limite máximo de 50%.

O acordo foi comemorado pelos trabalhadores. Mauro Vicente da silva, um dos dispensados sem receber nada, disse que agora poderá ter um Natal mais feliz. “Ficamos todo esse tempo sem pegar dinheiro e acabamos com o nome sujo no banco. Agora, há uma luz no fim do túnel. Finalmente a justiça está sendo feita”, disse.

“Estávamos no escuro, sem saber se íamos receber ou não”, falou o operador de máquina Doadi Areco Ferreira, que perdeu o emprego em meados de 2014. “Hoje estamos aliviados e sabemos que vamos ter um troquinho no final do mês”, festejou.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Agosto de 2017
15.08.17 15h51 » Homem é indenizado após ficar impotente temporariamente
14.08.17 15h49 » Empresa não pode suspender planos de saúde de afastados por doença
01.08.17 09h49 » Férias: atraso de 2 dias não exige valor em dobro, diz TST
Julho de 2017
31.07.17 09h56 » Trabalhador que mentiu sobre demissão é condenado por litigância de má-fé
29.07.17 08h52 » Quem pede demissão grávida não tem direito a estabilidade, decide TST
28.07.17 15h04 » Demitida pelo WhatsApp será indenizada em R$ 10 mil
18.07.17 17h29 » Empresa de construção é condenada por não contratar aprendiz
17.07.17 09h24 » TRT renova termo aditivo para utilização de aeronaves do Estado
08.07.17 08h32 » Acidente na volta para casa dá direito a estabilidade de emprego
Junho de 2017
30.06.17 16h08 » Incapacidade de ir ao Judiciário por causa de depressão anula prescrição



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet