Artigos
  • LUIZ FLÁVIO GOMES
    O habeas corpus protocolado em favor do ex-presidente Lula começou juridicamente errado
TCE / APÓS AFASTAMENTOS

Tamanho do texto A- A+
08.11.2017 | 15h34
Eleição deve efetivar Domingos Neto como presidente do TCE-MT
Ele assumiu interinamente o cargo após decisão do Supremo, que afastou cinco conselheiros
Marcos Bergamasco/TCE-MT
O conselheiro Domingos Neto, que será efetivado como presidente do TCE
THAIZA ASSUNÇÃO E VINICIUS LEMOS
DA REDAÇÃO

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) realizará, na manhã da próxima terça-feira (14), a eleição da nova Mesa Diretora para o biênio 2018-2019.

De acordo com o conselheiro substituto Luiz Henrique Lima, vice-presidente interino, a eleição irá homologar o conselheiro Domingos Neto na presidência do tribunal.

Neto assumiu o cargo interinamente em setembro deste ano, após cinco conselheiros da casa serem afastados por determinação do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele foi o único entre os conselheiros titulares a permanecer no posto. 

“Nós o vemos como plenamente qualificado para exercer essa presidência, nesse momento específico que o tribunal está vivendo. Ele é a pessoa mais indicada para essa função”, disse Lima, em entrevista, nesta quarta-feira (8).

Nós o vemos como plenamente qualificado para exercer essa presidência, nesse momento específico que o tribunal está vivendo. Ele é a pessoa mais indicada para essa função

Lima lembrou que Neto é o único apto a disputar a eleição, uma vez que Regimento Interno do órgão prevê que apenas os conselheiros titulares podem concorrer no pleito.

“Ele é o único conselheiro titular em exercício, no momento. Foi por esse motivo que ele assumiu em substituição legal, mas a eleição vai dar um caráter de efetividade à sua gestão”, afirmou.

Lima também disse que objetivo dos atuais membros é recuperar a imagem do TCE. 

“A nossa preocupação é desempenhar bem o nosso papel constitucional, fazer com que o TCE atue em Mato Grosso de acordo com a expectativa da sociedade. E nós temos tentando fazer isso, nesse período em que estamos atuando", afirmou.

“Todos os dias decisões importantes estão sendo adotadas, tanto em relação às administrações municipais como a administração estadual”, completou.

Afastamento

A decisão do STF atinge o ex-presidente do TCE, Antonio Joaquim, e os conselheiros Valter Albano, José Carlos Novelli, Waldir Teis e Sérgio Ricardo.

Os gabinetes desses conselheiros foram alvos de mandados de busca e apreensão, durante a Operação Malebolge, da Polícia Federal, que investiga desvio de dinheiro público, lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro.

A operação é um desdobramento da Operação Ararath, que, desde 2013, já teve 12 fases. 

Os conselheiros afastados foram citados em delação feita pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB) à Procuradoria-Geral da República.

Na delação, Silval afirmou que os conselheiros exigiram propina para não prejudicarem o andamento das obras da Copa do Mundo em Mato Grosso, em 2014. Ele disse ter pago R$ 53 milhões.

Na delação, consta que a maioria das fraudes teria ocorrido por meio do programa "MT Integrado", lançado em 2013, durante o Governo Silval.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Julho de 2018
02.07.18 08h22 » "Tiranos, corruptos e incompetentes pedem o fim dos tribunais"
Junho de 2018
26.06.18 15h48 » Cautelar do TCE suspende convênios entre Casa de Guimarães e Estado
21.06.18 16h57 » Empresa e servidores são punidos por superfaturamento
20.06.18 15h58 » TCE homologa suspensão de licitação de R$ 202 mi da Sinfra
19.06.18 08h27 » TCE cita 17 falhas graves mas dá parecer favorável a Taques
13.06.18 10h41 » Ex-chefe da Defensoria e empresas devem devolver R$ 661 mil
12.06.18 15h19 » Conselheira do TCE-MT vota para que deputados devolvam R$ 16 milhões
07.06.18 17h06 » Secretário tem 3 dias para explicar convênio de R$ 1,5 milhão
Maio de 2018
28.05.18 16h15 » Cautelar determina suspensão de processo licitatório da Sinfra
24.05.18 17h02 » Mangueira e empresa terão que devolver R$ 509 mil a Cuiabá



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet