Artigos
  • RENATO NERY
    Esta forma de cobrança (protesto) canhestra demonstra o desapreço do Poder Público para com o contribuinte
  • CARLOS MONTENEGRO
    Ao que me parece, a lesão resta muito mais evidenciada à sociedade e não aos cofres públicos
  • FERNANDA RAMOS
    A Lei em questão trouxe sim é segurança jurídica tanto para as empresas como para os trabalhadores
Enquetes

Você acha que a Lava Jato corre o risco de ser inviabilizada pela lentidão da Justiça?

  • Sim
  • Não
Sexta, 07 de abril de 2017, 17h16

Tamanho do texto A- A+
TCE / ANGIOPLASTIA
Ex-conselheiro passa mal e faz cirurgia no coração
Bosaipo foi submetido a uma angioplastia e seu estado de saúde não é considerado grave
MidiaNews
O ex-conselheiro Humberto Bosaipo, que passou por uma angioplastia
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), Humberto Bosaipo, está internado no Hospital São Matheus em Cuiabá, após passar por um procedimento cirúrgico no coração.


Conforme apurou o MidiaNews, Bosaipo passou mal na última sexta-feira (31), quando participava de um evento religioso.


Já internado, ele foi submetido a uma angioplastia, que é uma cirurgia realizada com o intuito de desobstruir uma artéria, permitindo a condução do fluxo sanguíneo até o coração.


Ainda segundo informações obtidas pela reportagem, ele fez a colocação de “stents”, que são tubos minúsculos expansivos e em forma de malha. Trata-se de uma prática usada para manter a artéria coronariana aberta e sustentar o fluxo sanguíneo após a cirurgia de angioplastia.


O estado de saúde de Bosaipo não é considerado grave.


Ações


Humberto Bosaipo renunciou ao cargo de conselheiro do TCE em dezembro de 2014.


Ele estava afastado do cargo desde 2011, por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), após ser acusado de peculato e lavagem de dinheiro.


O afastamento ocorreu após suspeitas de que ele integraria um suposto  esquema de lavagem de dinheiro, apontado pelo Ministério Público de Mato Grosso, durante a deflagração da Operação Arca de Noé, em 2002.


Na época, ele era deputado estadual e, segundo o MPF, supostamente teria se utilizado de empresas de fachada, inexistentes e irregulares, para desviar e apropriar-se de forma indevida de recursos da Assembleia Legislativa.


Em razão da Operação ele responde a dezenas de processos cíveis e criminais que tramitam na Justiça Estadual.


Parte desses processos já foi arquivada por prescrição.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2017
27.04.17 09h23 » "Executivo demonstrou desprezo por servidores do TCE"
26.04.17 08h26 » Sefaz diz que pedidos feitos pelo TCE são "ilegais"
25.04.17 18h18 » Em ação, TCE diz que próprio Governo foi a favor de remessa
25.04.17 18h12 » TCE diz que reação de Taques foi desproporcional
25.04.17 18h00 » Taques “esquece” conselheiro e diz que não aceita "ingerência"
25.04.17 17h49 » "Governador tem que entender que não é dono do Estado"
25.04.17 08h26 » Taques: "TCE permitiu negociatas e venda de vagas"
25.04.17 08h21 » TCE aciona Sefaz para ter acesso a dados de exportadores
24.04.17 10h04 » “Não há nenhuma atitude que diminua Sérgio Ricardo”
20.04.17 08h25 » “Indicação não é menos legítima do que concurso”



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet