Artigos
  • NALIAN CINTRA
    A mediação é uma ferramenta de extrema relevância para a estabilidade no mundo empresarial
  • HÉLCIO CORRÊA
    Tanta tirania e distorção como falsa defesa da ordem jurídica. Aqui toda autocracia judicial tem custo alto e perigoso à democracia
  • VICTOR MAIZMAN
    É preciso que o empreendedor tenha conhecimento dos seus direitos assegurados não apenas na legislação, como na própria Constituição Federal
TCE / ANGIOPLASTIA

Tamanho do texto A- A+
07.04.2017 | 17h16
Ex-conselheiro passa mal e faz cirurgia no coração
Bosaipo foi submetido a uma angioplastia e seu estado de saúde não é considerado grave
MidiaNews
O ex-conselheiro Humberto Bosaipo, que passou por uma angioplastia
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), Humberto Bosaipo, está internado no Hospital São Matheus em Cuiabá, após passar por um procedimento cirúrgico no coração.


Conforme apurou o MidiaNews, Bosaipo passou mal na última sexta-feira (31), quando participava de um evento religioso.


Já internado, ele foi submetido a uma angioplastia, que é uma cirurgia realizada com o intuito de desobstruir uma artéria, permitindo a condução do fluxo sanguíneo até o coração.


Ainda segundo informações obtidas pela reportagem, ele fez a colocação de “stents”, que são tubos minúsculos expansivos e em forma de malha. Trata-se de uma prática usada para manter a artéria coronariana aberta e sustentar o fluxo sanguíneo após a cirurgia de angioplastia.


O estado de saúde de Bosaipo não é considerado grave.


Ações


Humberto Bosaipo renunciou ao cargo de conselheiro do TCE em dezembro de 2014.


Ele estava afastado do cargo desde 2011, por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), após ser acusado de peculato e lavagem de dinheiro.


O afastamento ocorreu após suspeitas de que ele integraria um suposto  esquema de lavagem de dinheiro, apontado pelo Ministério Público de Mato Grosso, durante a deflagração da Operação Arca de Noé, em 2002.


Na época, ele era deputado estadual e, segundo o MPF, supostamente teria se utilizado de empresas de fachada, inexistentes e irregulares, para desviar e apropriar-se de forma indevida de recursos da Assembleia Legislativa.


Em razão da Operação ele responde a dezenas de processos cíveis e criminais que tramitam na Justiça Estadual.


Parte desses processos já foi arquivada por prescrição.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
20.10.17 12h58 » Paiaguás recebe processo de aposentadoria de conselheiro
12.10.17 17h30 » Silval iria pagar R$ 10 milhões a Riva para ser indicado ao TCE
11.10.17 17h50 » TCE alerta Governo sobre gasto excessivo com salário de servidor
03.10.17 08h45 » TCE aponta que 45% dos médicos não cumprem carga horária
01.10.17 14h01 » Conselheiro teria usado dinheiro ilícito para comprar canal de TV
Setembro de 2017
29.09.17 14h51 » Pleno mantém decisão que suspendeu licitação de R$ 752 milhões
25.09.17 17h18 » "Os conselheiros substitutos morrerão substitutos", diz Joaquim
25.09.17 13h35 » Conselheiro pede devolução de bens e autorização para falar com esposa
21.09.17 09h01 » TCE fará perícia para saber se houve dolo em sobrepreço
19.09.17 11h42 » Joaquim aponta “nulidade” e pede que STF o reconduza ao cargo



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet