Artigos
Enquetes

Você acha que a Lava Jato corre o risco de ser inviabilizada pela lentidão da Justiça?

  • Sim
  • Não
Segunda, 06 de fevereiro de 2017, 18h14

Tamanho do texto A- A+
TCE / SUPOSTA COMPRA DE VAGA
Conselheiro substituto assume vaga de Sérgio Ricardo no TCE
Membro do TCE foi afastado pelo juiz Luis Bortolussi e já teve recurso negado
Reprodução
O conselheiro substituto João Camargo, que assume vaga de Sérgio Ricardo
LUCAS RODRIGUES
DA REDAÇÃO

O conselheiro substituto João Camargo, do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), irá assumir, interinamente, a vaga do conselheiro Sérgio Ricardo, afastado do cargo por determinação judicial.

A informação já havia sido antecipada pelo MidiaNews, em uma nota na coluna Fogo Amigo e foi confirmada por meio da portaria assinada pelo presidente do TCE, Antônio Joaquim, e publicada no Diário Oficial de Contas desta segunda-feira (6).

O critério para a escolha de Camargo como interino é um rodízio, adotado internamente pela instituição.

Sérgio Ricardo foi afastado do cargo, no último dia 9, por decisão juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara Especializada Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá.

Ele é acusado de comprar sua vaga no TCE com dinheiro obtido de forma ilícita, por meio de esquema de corrupção durante a gestão do ex-governador Blairo Maggi (PP), atual ministro da Agricultura.

A decisão que o afastou do cargo é resultado de uma ação de improbidade administrativa do Ministério Público Estadual (MPE) relativa à Operação Ararath, que investigou crimes de lavagem de dinheiro desviado de órgãos públicos de Mato Grosso.

A defesa de Sérgio Ricardo – representada pelos advogados Maurício Magalhães Faria Neto e Marcio Leandro Pereira de Almeida – já recorreu da decisão, sob a alegação de que a decisão de Luis Bortolussi foi baseada em “presunções” e “futurologia”.

O recurso, contudo, foi negado pelo desembargador Luiz Carlos da Costa, da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Em sua análise, o desembargador disse que a decisão do juiz de primeiro grau trouxe elementos suficientes para comprovar a suspeita da negociata pela vaga ocupada por Sérgio Ricardo.

“Constata-se, nesta quadra de cognição não exauriente, a existência de elementos probatórios seguros, que evidenciam a comercialização de vaga para o cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, com dinheiro do erário, a importar em verdadeiro atentado ao próprio Estado Democrático de Direito”, disse.

Mesmo afastado, os rendimentos do conselheiro serão mantidos. Conforme o Portal da Transparência do TCE, em novembro - último mês com dados disponíveis -, seus rendimentos brutos foram de R$ 33,7 mil.

Leia mais sobre o assunto:

Desembargador nega pedido e mantém conselheiro afastado

Sérgio Ricardo recorre de decisão que o afastou do TCE-MT

Após decisão judicial, TCE-MT afasta conselheiro do cargo

Juiz diz que compra de vaga no TCE-MT ultrapassa a imoralidade

Conselheiro do TCE-MT diz que decisão judicial é “contraditória”

Juiz afasta conselheiro Sérgio Ricardo e bloqueia bens de Maggi


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2017
25.04.17 08h26 » Taques: "TCE permitiu negociatas e venda de vagas"
25.04.17 08h21 » TCE aciona Sefaz para ter acesso a dados de exportadores
24.04.17 10h04 » “Não há nenhuma atitude que diminua Sérgio Ricardo”
20.04.17 08h25 » “Indicação não é menos legítima do que concurso”
13.04.17 08h18 » Assembleia desiste de obra e TCE extingue ação
11.04.17 10h47 » Conselheiro cita contradição e diz provar inocência
10.04.17 11h21 » STJ nega pedido para incluir conselheiro como réu
07.04.17 17h16 » Ex-conselheiro passa mal e faz cirurgia no coração
06.04.17 17h56 » Rede de Controle analisa relatórios sobre o VLT
04.04.17 18h07 » TCE manda dirigente de ONG devolver R$ 405 mil



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet