Artigos
  • PEDRO HENRIQUE MARQUES
    Aspectos constitucionais do referido instituto na atual conjuntura política
  • VICTOR MAIZMAN
    É recorrente a insatisfação e inconformismo da sociedade quanto à elevada carga tributária
  • RENATO NERY
    A imprensa diariamente notícia novos casos de apropriação do espólio da viúva
TCE / TERMO DE COOPERAÇÃO

Tamanho do texto A- A+
24.08.2016 | 15h52
Acordo entre TCE e MPE facilita combate à corrupção
“Quem mais ganha com tudo isso é a sociedade”, diz o conselheiro Ronaldo Ribeiro
TCE-MT
O conselheiro Antonio Joaquim e o procurador geral de Justiça, Paulo Prado
DA REDAÇÃO

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE) e o Ministério Público Estadual (MPE) firmaram um termo de cooperação técnica que prevê troca de informações e documentos entre as instituições, com a finalidade de tornar mais céleres e efetivas as ações de prevenção e repressão aos crimes de corrupção.

No ato da assinatura do documento, na manhã desta quarta-feira (24.08), na sede do MPE, o presidente do TCE, conselheiro Antonio Joaquim, e o procurador geral de Justiça, Paulo Prado, destacaram a importância da parceria para fortalecer os órgãos de controle e estreitando o relacionamento nos últimos anos.

Antonio Joaquim destacou que, este ano, a cooperação técnica entre TCE e MPE foi aperfeiçoada já que as instituições tiveram várias discussões técnicas antes de definirem os termos do acordo. As conversas começaram em fevereiro, quando os promotores, integrantes do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, solicitaram uma reunião com o TCE.

Somos duas instituições de controle e precisamos estar sempre conversando e contribuindo, uma com a outra, para que as nossas ações sejam mais produtivas para a sociedade

O Tribunal de Contas designou, então, uma comissão de auditores, liderada pelo conselheiro substituto Ronaldo Ribeiro, para discutir as propostas de cada instituição até a aprovação do documento final. Na avaliação do presidente do TCE, as reuniões realizadas entre MPE e TCE resultaram em ações mais propositivas uma vez que prevê obrigações comuns às duas instituições e outras assumidas apenas pelo Tribunal de Contas ou pelo Ministério Público.

“Somos duas instituições de controle e precisamos estar sempre conversando e contribuindo, uma com a outra, para que as nossas ações sejam mais produtivas para a sociedade”, destacou Antonio Joaquim.

O procurador geral de Justiça, Paulo Prado, ressaltou que o acordo firmado nesta quarta-feira irá fortalecer a imagem das instituições perante a sociedade, demonstrando que elas caminham juntas no combate aos crimes contra o patrimônio público. Reforçou, ainda, a importância do acordo para a “lisura e transparência da coisa pública em Mato Grosso”.

A pedido do procurador, também assinaram o documento como testemunhas, o conselheiro substituto do TCE, Ronaldo Ribeiro, e o corregedor do MPE, Hélio Faust. Ronaldo Ribeiro explicou que as equipes do TCE e MPE, responsáveis pelo conteúdo do acordo, buscaram desburocratizar o processo de troca de informações e documentos, garantindo as condições para promover mais qualidade e celeridade no atendimento das demandas. “Quem mais ganha com tudo isso é a sociedade”, observou o conselheiro substituto.

O corregedor do MPE, Hélio Faust, destacou a satisfação de ver as instituições atuando juntas na solução dos problemas e disse que sempre defendeu a ideia dos poderes e autoridades trabalharem unidas para o bem comum. “Estou muito satisfeito com o acordo firmado hoje e parabenizo os colegas do Patrimônio Público”, finalizou.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Junho de 2018
21.06.18 16h57 » Empresa e servidores são punidos por superfaturamento
20.06.18 15h58 » TCE homologa suspensão de licitação de R$ 202 mi da Sinfra
19.06.18 08h27 » TCE cita 17 falhas graves mas dá parecer favorável a Taques
13.06.18 10h41 » Ex-chefe da Defensoria e empresas devem devolver R$ 661 mil
12.06.18 15h19 » Conselheira do TCE-MT vota para que deputados devolvam R$ 16 milhões
07.06.18 17h06 » Secretário tem 3 dias para explicar convênio de R$ 1,5 milhão
Maio de 2018
28.05.18 16h15 » Cautelar determina suspensão de processo licitatório da Sinfra
24.05.18 17h02 » Mangueira e empresa terão que devolver R$ 509 mil a Cuiabá
23.05.18 08h01 » TCE mantém RGA suspensa e quer reavaliar entendimento da LRF
18.05.18 09h42 » Zanatta, empresa e outros seis terão que devolver R$ 1 milhão



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet