Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
CNJ / "CONCILIAR É LEGAL"

Tamanho do texto A- A+
29.05.2015 | 15h54
Curso de Direito da Unemat vence concurso do CNJ
Evento reconhece as práticas jurídicas nas faculdades e na sociedade civil organizada
Reprodução
Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) em Diamantino
DA REDAÇÃO
O Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) do curso de Direito da Universidade do Estado de Mato Grosso, campus Francisco Ferreira Mendes, (Unemat/Diamantino), foi o vencedor da Categoria Ensino Superior da 5ª edição do concurso ‘Conciliar é Legal’.

O evento é promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) desde 2010 e além de homenagear magistrados e servidores das Justiças Federal, Estadual e do Trabalho, reconhece as práticas jurídicas nas faculdades de Direito e na sociedade civil organizada que contribuam para a pacificação social.

As categorias Ensino Superior, Advocacia e Demandas Complexas ou Coletivas foram incluídas pela primeira vez na 5ª edição do Conciliar é Legal.

O NPJ inscreveu o evento ‘II Jornada de Estudos de Direito’ (II Jedud) sob o tema "Mediação como Política de Tratamento Adequado de Conflitos de Interesse". Os vencedores receberão a premiação, em cerimônia a ser confirmada, no CNJ, em Brasília.

Na mesma categoria receberão menções honrosas a Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais Alves Fortes (FACE ALFOR) e Escola de Direito de Brasília (EDB).

Segundo o professor da Unemat e coordenador do II Jedud, Éder Pereira de Assis, as ações desenvolvidas ente os dias 11 e 14 de novembro de 2014 são resultados da parceria firmada pelo Termo de Cooperação entre o NPJ e o Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT) para submissão prévia e intercorrente dos processos ajuizados pelo NPJ ao Centro de Mediação e Conflito de Interesses do Fórum da Comarca de Diamantino/MT.

O prêmio Conciliar é Legal - 2014 foi disputado nas categorias: Tribunal Estadual; Tribunal Regional do Trabalho; Juiz Individual; Instrutores de Mediação e Conciliação; Ensino Superior; Advocacia; Demandas Complexas ou Coletivas; Sociedade Civil; Maiores índices de Composição na Semana Nacional de Conciliação nas modalidades Estadual; Trabalhista; e Federal; e Prêmio Especial de Qualidade nas modalidades Estadual e Trabalhista.

Prêmio Conciliar é Legal: objetiva identificar, premiar, disseminar e estimular a realização de ações de modernização no âmbito do Poder Judiciário que estejam contribuindo para a aproximação das partes, a efetiva pacificação e consequentemente o aprimoramento da Justiça.

O Comitê Gestor, formado por juízes, julga as práticas dos trabalhos inscritos sob a ótica da eficiência, restauratividade das relações sociais, criatividade, replicabilidade, satisfação do usuário, alcance social e desburocratização.
Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Novembro de 2017
17.11.17 16h36 » Tribunal de Mato Grosso capacita juízes sobre delação premiada
13.11.17 16h31 » CNJ mantém decisão de Tribunal que criou câmaras descentralizadas
Outubro de 2017
31.10.17 11h21 » PM não pode prender quem descumpre monitoramento
30.10.17 11h50 » Corregedor apresenta ações para controle de salário de juízes
27.10.17 16h25 » Durante encontro, corregedor fala sobre comprometimento de juízes
27.10.17 16h04 » "Brasil ainda é patrimonialista e machista", diz Carmém Lúcia
25.10.17 15h36 » CNJ divulga dados do Judiciário sobre violência contra a mulher
25.10.17 15h15 » Corregedor apresenta ações para controle de salário de juízes
24.10.17 17h57 » Juíza aposentada de MT é condenada à pena de disponibilidade
24.10.17 16h31 » Liberdade de expressão exige responsabilidade de juízes, diz Carmém Lúcia



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet