Artigos
  • RICARDO BERTOLINI
    A corrupção é doença que retira do cidadão a possibilidade de ter algum acesso aos serviços públicos
  • ALEX VIEIRA
    Devemos ter Cautela com os conhecimentos transmitidos vulgarmente, pois muitas vezes estão contaminados por falsas ou incompletas informações
  • SÉ CORDOVEZ
    Na prática a boa intenção da medida visa à extinção da cobrança retroativa do Funrural aos seus Contribuintes
OAB / OFENSA ÀS PRERROGATIVAS

Tamanho do texto A- A+
27.10.2016 | 14h44
OAB-MT realiza ato de desagravo público em Tangará da Serra
PM teria impedido advogada de acompanhar Boletim de Ocorrência contra cliente
MidiaNews
Desagravo foi aprovado pelo Conselho Seccional da OAB-MT
DA REDAÇÃO

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) realiza ato de desagravo público nesta quinta-feira (27) no auditório da subseção de Tangará da Serra, a partir das 18h. A medida se cumpre em razão da violação das prerrogativas profissionais na defesa dos direitos do cidadão.

O ato será em face de atitudes do comandante do 19º Batalhão da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, major Vanilson da Silva Morais, que impediu a advogada Elaine Josefa de Souza de acompanhar a confecção de Boletim de Ocorrência e oitiva de seu cliente. Após o ato, o policial militar ainda denegriu a imagem da profissional  e de toda a classe junto aos meios de comunicação.

O major afirmou que a advogada tentou obstruir o trabalho da Polícia Militar ao esconder a face de um dos detidos durante a operação.

Conforme prevê o inciso XVII do artigo 7º da Lei 8.906/94, é direito do advogado ser publicamente desagravado quando ofendido no exercício da profissão em razão dela.

A situação foi levada ao Tribunal de Defesa das Prerrogativas (TDP) da OAB-MT que avaliou o caso, inclusive, dando oportunidade ao major de se manifestar nos autos, ocasião em que ele se recusou a receber as notificações, ofendendo novamente a advogada, funcionários e a entidade, como um todo.

“O abuso e desrespeito da autoridade militar estão concretizados em seu comportamento impeditivo, bem como nos abjetos comentários realizados junto à imprensa local, podendo ser perfeitamente visualizado nos vídeos que se encontram acostados nos autos, sendo indiscutível a arbitrariedade fomentada, aliás, presenciada pelo próprio presidente daquela subseção, que afirmou que se dirigiu ao local onde estava sendo realizado o procedimento, momento em que presenciou o impedimento da advogada de adentrar à sala de confecção do boletim de ocorrência, assim como, impedida de acompanhar o ato, fato esse que por si só revela prova incontestável da existência de violação aos direitos da advogada”, destaca o relator do processo no TDP em seu voto.

O ato de desagravo foi aprovado por unanimidade no Conselho Seccional da OAB-MT.

Além do desagravo, foi encaminhado pedido de instauração de processo disciplinar à Corregedoria da Polícia Militar a fim de que se apure a conduta do major.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2017
12.09.17 18h33 » Conciliador e advogado celebram termo de conciliação
01.09.17 14h57 » Primeira fase do Exame de Ordem tem recorde de candidatos reprovados
Agosto de 2017
28.08.17 11h19 » OAB vai à Justiça contra aumento de PIS e Cofins de combustíveis
03.08.17 11h02 » Desdobramentos da reforma trabalhista serão debatidos
03.08.17 09h10 » Palestrantes falam sobre Direito Civil e Processo Civil
Julho de 2017
31.07.17 10h37 » Cresce o interesse de advogados por coworkings no Brasil
20.07.17 17h10 » OAB: "Sociedade foi chamada de bisbilhoteira; crítica é infundada"
Junho de 2017
19.06.17 17h06 » OAB aponta grampos ilegais sobre parentes de Silval; TJ decreta sigilo em MT
12.06.17 16h35 » OAB: promotora teria acessado dados sigilosos da Sefaz
Maio de 2017
26.05.17 18h17 » Advogado pede para OAB reexaminar pedido de impeachment



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet