Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    É recorrente a insatisfação e inconformismo da sociedade quanto à elevada carga tributária
  • RENATO NERY
    A imprensa diariamente notícia novos casos de apropriação do espólio da viúva
MPF / PROPINA DE R$ 5 MILHÕES

Tamanho do texto A- A+
04.10.2017 | 09h44
Nadaf diz que esquema com Marfrig beneficiou Maggi e Silval
Em delação, ex-chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf revelou que grupo negociou propina por benefícios fiscais
Reprodução
Silval e Maggi foram acusados por Nadaf de participação em esquema de "caixa 2"
DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O ex-secretário de Estado da Casa Civil, Pedro Nadaf, afirmou que o senador e atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), foi beneficiado por dinheiro de um esquema com o Grupo Marfrig, por meio de doação de campanha em 2010, através de de Caixa 2.

Segundo Nadaf, o grupo que atua na área de frigorífico aceitou doar R$ 5 milhões para as campanhas de Silval Barbosa (PMDB) e Maggi, em troca de benefícios fiscais e redução de ICMS.

As negociações foram feitas diretamente com o presidente da Marfrig, Marcos Molina, por Silval, Nadaf e Cidinho Santos (PP), atual suplente de Maggi e que ocupa sua cadeira no Senado.

Apenas parte do valor de R$ 5 milhões foi doada oficialmente para a campanha ao senado de Blairo Maggi, e parte para a campanha ao governo de 2010 de Silval Barbosa

Disse Nadaf ao Mnstério Público Federal (MPF): “Durante a reunião, Silval Barbosa deixou claro a Marcos Molina que o Grupo Marfrig, por possuir investimentos em Mato Grosso, e ainda contar com projetos de novos investimentos, deveria auxiliar em sua campanha política. Em troca dessa ajuda, Silval Barbosa prometeu retorno de apoio ao Grupo Marfrig no tocante à redução de ICMS, por meio de incentivos fiscais”.

Segundo Nadaf, Marcos Molina aceitou fazer uma doação de R$ 5 milhões, e que iria estudar melhor e depois daria uma resposta definitiva.

“O Grupo Marfrig aceitou contribuir na campanha justamente por conta do retorno do montante desembolsado que iria usufruir em razão da redução tributária na carne”, disse Nadaf.

"Apenas parte do valor de R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais) foi doada oficialmente para a campanha ao senado de Blairo Maggi, e parte para a campanha ao governo de 2010 de Silval Barbosa, não sabendo o Declarante (Nadaf) descriminar o valores".

Trimec

Parte do dinheiro foi repassada a Silval por meio da Trimec Construções e Terraplanagem. “Houve uma terceira parte do montante de R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais) que foi repassada para Silval Barbosa através da construtora Trimec, não sabendo o Declarante discriminar quando foi tal divisão de valores”.

“O recebimento desse dinheiro por Silval Barbosa através da Trimec ocorreu através de um contrato simulado de obras de terraplanagem em Jaciara e Rosário Oeste com a empresa Pampeado (empresa do grupo Marfrig), a qual transferiu o valor destinado a Silval Barbosa para a construtora Trimec e esta, por sua vez, repassou os valores oriundos do Grupo Marfrig que havia sido acertado, ao governador”, explicou Nadaf.

"Não me recordo ao certo das tratativas posteriores, pois parte delas foram feitas por Cidinho, que na ocasião era suplente de Blairo Maggi, e assim também buscava apoio para sua campanha, bem como que era quem do grupo possuía maior contato com o dono da empresa”, afirmou.

“O Grupo Marfrig iria receber de volta muito mais do que os R$ 5 milhões que estava doando para as campanhas políticas, através dos incentivos fiscais que Silval Barbosa barganhou por tal apoio financeiro. O uxílio para campanha do governador também como dinheiro de propina, foi ressarcido à empresa através dos incentivos fiscais, deixando assim o Estado de receber milhões de tributos do Grupo Marfrig”, disse Nadaf.

Outro lado

Com relação à matéria, esclarecemos que os fatos relativos à Marfrig apontados no depoimento do ex-governador do Mato Grosso, Silval Barbosa, foram exaustivamente investigados pelo Ministério Público do Estado do Mato Grosso, cuja conclusão é a inexistência de crime praticado por pessoas vinculadas ao grupo. A seguir, a manifestação da promotora do Ministério Público Estadual do Mato Grosso, Ana Cristina Bardusco Silva, que destaca a postura colaborativa do Grupo Marfrig e a efetividade de sua área de Compliance. “O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, através da Promotora de Justiça Ana Cristina Bardusco Silva, esclarece que o Grupo Marfrig, no ano de 2016, através de apuração interna da sua área de compliance, contribuiu de forma espontânea com as investigações relativas ao pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos do estado do Mato Grosso que compõe a organização criminosa desbaratada na Operação Sodoma. Após investigação que contou com ampla cooperação do grupo Marfrig, esta Promotoria concluiu que o grupo foi compelido a se submeter às exigências, não sendo imputado aos seus dirigentes a prática de qualquer ato de natureza criminal.” Diante dos esclarecimentos, a Marfrig reforça seu compromisso com a transparência e a ética.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Junho de 2018
07.06.18 17h06 » MPF denuncia mais de 60, incluindo Sérgio Cabral
Maio de 2018
29.05.18 16h28 » MPF denuncia autor de tomataço contra o ministro Gilmar Mendes
28.05.18 16h01 » Segurança Pública precisa se atentar aos ataques cibernéticos, diz Dodge
17.05.18 16h02 » MPF recomenda mais estudos antes de duplicação da MT-251
02.05.18 15h15 » PGR denuncia Blairo e Sérgio Ricardo por corrupção ativa na Ararath
Abril de 2018
16.04.18 16h18 » MPF notifica Governo do Estado a ressarcir R$ 5 mi à União
16.04.18 16h05 » "Não há sentido na existência do foro privilegiado", diz Dodge
03.04.18 12h18 » Raquel Dodge diz que 'Justiça que tarda é Justiça que falha'
Março de 2018
22.03.18 15h20 » Raquel Dodge defende prisão de Lula na 2ª instância
13.03.18 10h41 » Raquel Dodge diz ao STF que governo tem poder para rever decisão sobre Battisti



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet