Artigos
  • GILMAR MENDES
    Esse procedimento acaba sendo o meio para coibir interpretações equivocadas e mesmo abusos na prisão
  • ELVIS KLAUK JR
    Antes de fechar negócio é muito importante verificar se o imóvel está com os respectivos documentos em ordem
  • PAULO LEMOS
    Na política, há um quadro crônico e agudo de delírios, alucinações, desejos, impulsos e compulsões
MPF / ACUSADOS DE PECULATO

Tamanho do texto A- A+
14.09.2017 | 12h09
MPF instaura inquérito contra Emanuel e cinco deputados de MT
Inquérito não traz detalhes, mas teria relação com delação de Silval
Alair Ribeiro/MidiaNews
O prefeito Emanuel Pinheiro: inquérito instaurado pelo MPF
LUCAS RODRIGUES
DA REDAÇÃO

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, instaurou inquérito para apurar crimes contra a administração pública e peculato (desvio de dinheiro) supostamente praticados pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), e mais cinco deputados mato-grossenses.

A decisão é da última sexta-feira (08). O deputados estaduais alvos do inquérito são: Ondanir Bortolini (PSD), o “Nininho”; Zeca Viana (PDT); Wancley Carvalho (PV); e Eduardo Botelho (PSB), que é presidente da Assembleia Legislativa. Também é alvo o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP).

O caso, que está sob a responsabilidade do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), seria desdobramento da delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), homologada no mês passado pelo magistrado.

Dos políticos alvos do inquérito, apenas Wancley Carvalho não foi citado por Silval nos depoimentos que vieram a público sobre a delação.

Na colaboração, o ex-governador afirmou que em sua gestão e na gestão do seu antecessor, o atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), ocorria um sistema de pagamentos mensais de propina no valor de R$ 50 mil, o “mensalinho”, para que os deputados apoiassem os projetos do Executivo.

Alair Ribeiro/MidiaNews

Ezequiel Fonseca

O deputado federal Ezequiel Fonseca, um dos investigados pelo procurador-geral da República

Segundo Silval, o Executivo repassava outros R$ 50 mil mensais aos deputados envolvidos a título das propinas pagas pelas empreiteiras que prestavam serviços no programa de pavimentação MT Integrado.

Dentre estes deputados, o ex-governador citou Emanuel Pinheiro e Ezequiel Fonseca, que eram deputados estaduais na legislatura passada e foram filmados recebendo maços de dinheiro.

Zeca Viana, todavia, não recebia a vantagem indevida, mas, conforme o ex-assessor de Silval, Silvio Araújo, chegou a cobrar tais valores.

Já Nininho, de acordo com a delação, pagava propinas para manter os contratos de suas empresas com o Governo do Estado.

Eduardo Botelho, por sua vez, foi acusado pelo irmão de Silval, Antônio Barbosa, de ser beneficiário de propinas pagas por uma empresa contratada para prestar serviços no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT).

Também consta na delação que o deputado teria se comprometido a votar de forma favorável às contas de Silval em troca de benefícios às suas empresas

A empresa em que Botelho é sócio, a Construtora Nhambiquaras, também foi citada na delação como a responsável por uma obra de R$ 10 milhões em Chapada dos Guimarães, paga por meio de emendas da então deputada federal e atual prefeita Thelma de Oliveira (PSDB), que teria exigido R$ 1 milhão de “retorno” para liberar a verba.

Confira dados o inquérito:

 

print inquerito contra emanuel e mais cinco

 

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Janeiro de 2018
17.01.18 10h10 » PGR pede que Jorge Picciani siga preso: 'Monumental esquema de corrupção'
16.01.18 15h15 » MPF quer pena de 386 anos de prisão para Eduardo Cunha
Dezembro de 2017
30.12.17 09h28 » Dodge vai ao STF contra gasto da Presidência com comunicação
28.12.17 09h38 » Para MPF, portaria que restringe visita íntima é ineficaz
28.12.17 09h25 » Raquel Dodge aciona STF para suspender decreto de Michel Temer
Novembro de 2017
17.11.17 16h26 » Raquel Dodge defende prisão após condenação em segunda instância
16.11.17 16h30 » Raquel Dodge denuncia ministro do TSE por lesão corporal
16.11.17 16h17 » MPF pede bloqueio de R$ 24 milhões de Lula e do filho
08.11.17 15h50 » Raquel Dodge rejeita sugestões do ministro do trabalho
03.11.17 14h39 » Raquel Dodge tenta investigar suspeita de compra de decisões judiciais



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet