Artigos
  • THAYSON HENRIQUE MOTA
    Tribunais inferiores continuavam a proferir decisões pela formação de grupo econômico sustentando o poder de comando em face da mera identidade de sócios
  • RODRIGO CARVALHO
    Não cabe a nenhum órgão de controle interno ou externo e ao Judiciário criar limites à função do procurador
  • RENATO NERY
    Quanta gente não se embriagou com milionários cargos públicos supridos pela desenfreada corrupção?
  • VICTOR MAIZMAN
    A Constituição impõe que no tocante ao ICMS, quanto mais essencial for o produto ou serviço, menor deve ser a alíquota
MPF / ALVOS DO MPF

Tamanho do texto A- A+
31.08.2017 | 10h24
Políticos de MT gastaram R$ 680 mil em "farra de passagens"
Eles são acusados de uso indevido ou injustificado da cota de passagens aéreas da Câmara Federal
MidiaNews
Bezerra, Fagundes, Galli e Valtenir são os únicos da lista do MPF que ainda atuam no Congresso
DA REDAÇÃO

Doze políticos (deputados e ex-deputados federais) de Mato Grosso estão na mira do Ministério Público Federal (MPF) e são alvos de processos por improbidade.

Eles são acusados de uso indevido ou injustificado da cota de passagens aéreas da Câmara Federal, entre 2007 e 2009, conforme revela o site Congresso em Foco.

No total, são 558 pessoas acusadas de participar do que se convencionou denominar de "farra das passagens". Juntas, terão quer devolver cerca de R$ 50 milhões.

De Mato Grosso, 12 estão na lista: Carlos Abicalil (PT), Carlos Bezerra (PMDB), Eliene Lima (PP), Homero Pereira (PP), Neri Geller (PMDB), Pedro Henry (PP), Eduardo Moura (PPS), Saturnino Masson (PSDB), Thelma de Oliveira (PSDB), Valtenir Pereira (PSB), Victório Galli (PSC) e Wellington Fagundes (PR).

Na época, todos eram deputados. Bezerra, Valtenir e Galli ainda são deputados federais; Fagundes é senador; Masson é deputado estadual; e Homero faleceu.

Valtenir (R$ 117 mil), Bezerra (R$ 103 mil), Henry (R$ 85 mil) e Fagundes (R$ 57 mil) foram os que mais gastaram com passagens aéreas.

No total, os políticos de Mato Grosso terão que ressarcir os cofres públicos em R$ 680.852,23.

Na relação aparecem oito ministros do presidente Michel Temer, governadores, ministros do TCU, além de prefeitos.

Quem devolver o dinheiro antes se livra de um processo, segundo o MPF.

Leia AQUI a íntegra da reportagem do Congresso em Foco.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
05.10.17 17h31 » Nadaf: Silval exigiu que delegado fosse retirado de investigação
04.10.17 09h44 » Nadaf diz que esquema com Marfrig beneficiou Maggi e Silval
03.10.17 09h57 » Dodge pede ao STF para colher depoimento de Temer
Setembro de 2017
27.09.17 13h58 » MPF diz que advogado ajudou Fabris a ocultar documentos
26.09.17 17h19 » Silval vendeu área no Parque Cristalino ao pastor Valdemiro
26.09.17 09h09 » MP deve ser forte para aumentar confiança da população na Justiça, diz Dodge
25.09.17 15h32 » Silval e Sílvio falam sobre termos de delação premiada
22.09.17 19h04 » Janot diz que Dilma usou e-mail secreto para avisar marqueteiros
18.09.17 15h14 » Raquel Dodge toma posse no cargo de procuradora-geral da República
14.09.17 18h01 » Janot rescinde acordo de delação premiada de Joesley Batista



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet