Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
MPF / POLÍTICA & PODER

Tamanho do texto A- A+
05.06.2017 | 08h45
Palácio acusa Janot de 'irresponsabilidade jurídica e intelectual'
Auxiliares de Temer acreditam haver parceria entre procurador-geral e ministro Edson Fachin
Reprodução
Rodrigo Janot, procurador-geral da República, teria omitido trecho de gravação
DE O TEMPO

Assessores próximos de Michel Temer acusam o procurador geral da República, Rodrigo Janot, de "irresponsabilidade jurídica e intelectual" ao afirmar que o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), preso neste sábado, 3, pela Polícia Federal, é o "verdadeiro longa manus" do presidente. A estratégia do Palácio do Planalto, agora, será enfrentar o Ministério Público e o relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin.

Para embasar a crítica a Janot, auxiliares de Temer usam uma degravação feita pelo Palácio do Planalto da conversa entre o presidente e o empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Segundo eles, a Procuradoria Geral da República escondeu um trecho da conversa na qual Temer faz a seguinte afirmação a Joesley: "Pode passar pro e-mail dele (Loures); é da minha mais estreita confiança." Nas versões da conversa que têm sido divulgadas até agora, a palavra "e-mail" aparece como "inaudível".

Na avaliação do Planalto, Temer não pediria para Joesley enviar um e-mail a Loures para tratar de assuntos impróprios. "Só uma pessoa com irresponsabilidade jurídica e intelectual poderia fazer uma afirmação dessas", disse um assessor próximo do presidente.

Ao reapresentar no STF o pedido de prisão preventiva de Rocha Loures, Janot o classificou como "homem de total confiança, verdadeiro longa manus do presidente da República, Michel Miguel Elias Temer Lulia". A expressão em latim significa executor de tarefas.

A prisão de Rocha Loures provocou muita preocupação no Palácio do Planalto. Nos bastidores, a avaliação do governo é a de que há uma parceria entre Janot e Fachin para desgastar o presidente.

Em conversas reservadas, assessores do Planalto dizem não acreditar que Rocha Loures incriminará o presidente simplesmente porque "não tem o que delatar".

Afirmam, porém, que tudo está sendo feito pela Procuradoria para pressionar Rocha Loures e "arrancar" uma delação contra Temer.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Novembro de 2017
17.11.17 16h26 » Raquel Dodge defende prisão após condenação em segunda instância
16.11.17 16h30 » Raquel Dodge denuncia ministro do TSE por lesão corporal
16.11.17 16h17 » MPF pede bloqueio de R$ 24 milhões de Lula e do filho
08.11.17 15h50 » Raquel Dodge rejeita sugestões do ministro do trabalho
03.11.17 14h39 » Raquel Dodge tenta investigar suspeita de compra de decisões judiciais
01.11.17 17h42 » MPF apura possíveis ilegalidades em investigação, diz ministro
Outubro de 2017
28.10.17 10h22 » Dodge defende investigações sobre Temer no caso dos portos
18.10.17 16h49 » Carlos Nuzman e Sérgio Cabral são denunciados pelo MPF
05.10.17 17h31 » Nadaf: Silval exigiu que delegado fosse retirado de investigação
04.10.17 09h44 » Nadaf diz que esquema com Marfrig beneficiou Maggi e Silval



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet