Artigos
  • NALIAN CINTRA
    A mediação é uma ferramenta de extrema relevância para a estabilidade no mundo empresarial
  • HÉLCIO CORRÊA
    Tanta tirania e distorção como falsa defesa da ordem jurídica. Aqui toda autocracia judicial tem custo alto e perigoso à democracia
  • VICTOR MAIZMAN
    É preciso que o empreendedor tenha conhecimento dos seus direitos assegurados não apenas na legislação, como na própria Constituição Federal
MPF / PARA APROVAR EMENDA

Tamanho do texto A- A+
15.04.2017 | 11h46
Delator da Lava Jato acusa Henry de pedir R$ 2 milhões
Ex-funcionário diz que Henry e outros três pediram propina, mas pagamento não se concretizou
MidiaNews
O ex-deputado federal Pedro Henry, acusado de pedir propina de R$ 2 milhões
DA REDAÇÃO

O ex-deputado federal Pedro Henry (PP) foi citado pelo ex-funcionário da Odebrecht José de Carvalho Filho durante depoimento aos procuradores do Ministério Público Federal (MPF).

Segundo reportagem do site G1, o ex-parlamentar foi um dos quatro políticos que pediu propina, de R$ 2 milhões, para aprovar uma emenda à Medida Provisória 183, de 2004.

Além de Henry - citado em vários outros escândalos de corrupção, como o Mensalão -, o ex-funcionário da empreiteira citou Sandro Mabel (PMDB-GO), Pedro Corrêa (PP-PE) e Mário Negromonte (PP-BA).

Carvalho Filho, no entanto, afirmou que o comportamento de Henry causou estranheza e que por esse motivo resolveu não concluir o negócio.

Leia a íntegra da reportagem:

Delação da Odebrecht: conselheiro do TCM baiano e ex-deputados são citados em tentativa de compra de emenda em MP

O ex-funcionário da Odebrecht José de Carvalho Filho citou em colaboração premiada os nomes dos ex-deputados federais Sandro Mabel (PMDB-GO), Pedro Corrêa (PP-PE), Pedro Henry (PP-MT) e Mário Negromonte (PP-BA).

Segundo Carvalho Filho, houve uma tentativa de pagamento de propina, de R$ 2 milhões, para aprovar uma emenda à Medida Provisória 183, de 2004.

Segundo o ex-funcionário da empreiteira, o pedido feito pelos quatro ex-parlamentares teria ocorrido durante uma reunião, em 2004.

O colaborador afirmou aos procuradores do Ministério Público Federal (MPF) que buscou Mário Negromonte, "que acatou a solicitação e promoveu emenda de relator relativa à MP 183/04".

Antes do processo de votação, porém, Carvalho Filho disse que o ex-deputado, ao lado de Mabel, Corrêa e Henry, solicitou o acerto de R$ 2 milhões para aprovação da emenda. O delator contou que Negromonte foi "veemente" em afirmar que o pagamento da propina deveria ser feito na mesma data.

Carvalho Filho, no entanto, afirmou que o comportamento de Henry causou estranheza e que por esse motivo resolveu não concluir o negócio.

A medida provisória que segundo o colaborador foi negociada com os ex-parlamentares, mais tarde, também em 2004, foi sancionada lei federal. A norma reduzia as alíquotas do PIS/PASEP e da COFINS que incidem na importação e na comercialização do mercado interno de fertilizantes e defensivos agropecuários.

Na petição enviada à instância inferior, o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin determinou que fosse destacado que Mário Negromonte, atualmente, é conselheiro no Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia.

Em 2015, o gabinete e casa de Negromonte já tinham sido vasculhados durante Operação Politeia, desdobramento da Operação Lava Jato naquele estado.

O advogado de Pedro Henry, Luiz Alberto Derze, disse que ainda não teve acesso às informações relacionadas ao ex-deputado federal e que a defesa deve se pronunciar assim que tiver conhecimento do teor das acusações.

O G1 tenta contato com Sandro Mabel, Pedro Corrêa e Mário Negromonte.

 

 

 

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
18.10.17 16h49 » Carlos Nuzman e Sérgio Cabral são denunciados pelo MPF
05.10.17 17h31 » Nadaf: Silval exigiu que delegado fosse retirado de investigação
04.10.17 09h44 » Nadaf diz que esquema com Marfrig beneficiou Maggi e Silval
03.10.17 09h57 » Dodge pede ao STF para colher depoimento de Temer
Setembro de 2017
27.09.17 13h58 » MPF diz que advogado ajudou Fabris a ocultar documentos
26.09.17 17h19 » Silval vendeu área no Parque Cristalino ao pastor Valdemiro
26.09.17 09h09 » MP deve ser forte para aumentar confiança da população na Justiça, diz Dodge
25.09.17 15h32 » Silval e Sílvio falam sobre termos de delação premiada
22.09.17 19h04 » Janot diz que Dilma usou e-mail secreto para avisar marqueteiros
18.09.17 15h14 » Raquel Dodge toma posse no cargo de procuradora-geral da República



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet