Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
MPF / LAVA JATO

Tamanho do texto A- A+
30.03.2017 | 18h12
MPF denuncia Henry e outros 9 do PP por esquema
Ação pede o pagamento de mais de R$ 2 bilhões, perda dos cargos, suspensão de direitos políticos
Marcos Lopes/ALMT
O ex-deputado federal Pedro Henry: nova ação do MPF
DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O ex-deputado federal Pedro Henry (PP) é um dos 10 membros do PP denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por um suposto esquema de propina instalado na Petrobras entre 2004 e 2014.

A ação de improbidade administrativa, proposta nesta quinta-feira (30), pede a devolução de mais de R$ 2 bilhões, perda dos cargos e suspensão de direitos políticos dos envolvidos, além de perda de contagem de tempo para aposentadoria parlamentar.

Segundo as investigações, Henry estava entre os líderes do partido que faziam negociatas para o pagamento de propina.

De acordo com a denúncia, foi encontrado o funcionamento de dois esquemas de desvios de verbas da Petrobras.

Henry estava envolvido no primeiro esquema, que consistia em um cartel de empreiteiras que fraudava procedimentos licitatórios da estatal em obras gigantescas, inflando indevidamente os lucros obtidos.

As propinas eram entregues pelos operadores para os executivos da estatal, assim como para os políticos e partidos responsáveis pelo apadrinhamento dos funcionários públicos.

Segundo o procurador Deltan Dallagnol, os parlamentares recebiam mesadas que variavam de R$ 30 mil a R$ 300 mil. Os valores teriam ajudado o partido a eleger mais deputados, o que aumentou o Fundo Partidário.

Apesar disso, o Ministério Público não pediu o bloqueio do Fundo Partidário do PP.

Já o outro esquema era referente aos benefícios obtidos decorrentes da atuação da Diretoria de Abastecimento em prol dos interesses da Braskem, empresa do Grupo Odebrecht, especialmente no contrato de comercialização de nafta entre a estatal e a referida empresa petroquímica.

Além de Henry, os acusados são os ex-deputados federais Pedro Corrêa (PE), João Pizzolatti (SC) e Mário Negromonte (BA); os deputados federais Nelson Meurer (PR), Mário Negromonte Júnior (BA), Arthur Lira (AL), Otávio Germano (RS), Luiz Fernando Faria (MG) e Roberto Britto (BA), além de João Genu, ex-assessor parlamentar do ex- deputado federal José Janene e já condenado na Lava-Jato.

Mensalão

Henry já havia sido condenado, na ação penal derivada do Escândalo do Mensalão, em dezembro de 2012, a sete anos e dois meses de prisão, em regime inicial semiaberto.

Ele foi acusado de ter recebido dinheiro em troca de apoio no Congresso Nacional ao Governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Também foi aplicada ao parlamentar a multa de R$ 932 mil.

Até dezembro de 2013, Pedro Henry cumpria a pena no presídio da Papuda, em Brasília. Depois, foi transferido para a Polinter, em Cuiabá. Em outubro de 2014, passou para o regime de prisão domiciliar, mediante monitoramento por tornozeleira eletrônica.

Em dezembro de 2015, o ministro Luis Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu livramento condicional ao ex-deputado federal.

Leia também:

Ministro do STF manda retirar a tornozeleira de Pedro Henry


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Novembro de 2017
17.11.17 16h26 » Raquel Dodge defende prisão após condenação em segunda instância
16.11.17 16h30 » Raquel Dodge denuncia ministro do TSE por lesão corporal
16.11.17 16h17 » MPF pede bloqueio de R$ 24 milhões de Lula e do filho
08.11.17 15h50 » Raquel Dodge rejeita sugestões do ministro do trabalho
03.11.17 14h39 » Raquel Dodge tenta investigar suspeita de compra de decisões judiciais
01.11.17 17h42 » MPF apura possíveis ilegalidades em investigação, diz ministro
Outubro de 2017
28.10.17 10h22 » Dodge defende investigações sobre Temer no caso dos portos
18.10.17 16h49 » Carlos Nuzman e Sérgio Cabral são denunciados pelo MPF
05.10.17 17h31 » Nadaf: Silval exigiu que delegado fosse retirado de investigação
04.10.17 09h44 » Nadaf diz que esquema com Marfrig beneficiou Maggi e Silval



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet