Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Juridicamente é irrelevante o nome que se dá ao tributo, devendo ser definido o tributo através de seu fato gerador
  • RENATO GOMES NERY
    Não pode a Justiça afirmar que tal cor um dia é preta e no outro dia é branca; isto leva ao descrédito
  • VALBER MELO E FILIPE MAIA BROETO
    Ao implementar-se o método do discovery, eliminar-se-ão os "blefes", os "trunfos", as "jogadas desleais", bem como os eventuais "jogadores espertos"
MPE / HISTÓRIA EM RUÍNAS

Tamanho do texto A- A+
23.03.2018 | 17h37
MPE abre investigação sobre desabamento de casa de Bem-Bem
Imóvel, que foi referência de Cuiabá nas décadas de 60 e 70, veio ao chão após chuvas
Reprodução
Patrimônio histórico desabou após chuvas, em dezembro de 2017
BIANCA FUJIMORI
DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual abriu um procedimento preparatório para investigar a responsabilidade pelo desabamento da Casa de Bem-Bem, no Centro de Cuiabá.

O procedimento prepratório foi aberto após o MPE receber uma denúncia de Constança Palma Faria, filha de Dona Bem-Bem e proprietária do imóvel, relatando que o patrimônio histórico está em ruínas.

Uma das vertentes da investigação é de que a empresa X Nova Fronteira começou a restauração do imóvel, porém abandonou as obras, deixando a casa destelhada.

"Nós vamos apurar a responsabilidade e a possibilidade de reconstrução. Nós vamos investigar o que de fato aconteceu. Vamos investigar um dano a um patrimônio, a um bem tombado", expôs o promotor Gerson Barbosa, que assinou a portaria.

A Casa de Bem-Bem, localizada na Rua Barão de Melgaço, ficou conhecida entre os cuiabanos por sediar as tradicionais festas de São Benedito, em meados de 60 e 70.

"Dona Bem Bem" era o apelido de Constança Figueiredo Palma, uma típica cuiabana de pé rachado e muito carismática que nasceu em 1919 e morreu em 1990, aos 71 anos.

No dia 19 de novembro do ano passado, a reportagem esteve no imóvel e revelou as condições precárias em que a casa se encontrava. Com rachaduras, paredes caindo, portas apodrecidas e com falta de um teto, o risco de se tornar ruínas era eminente.

Gerson Natalício Barbosa

O promotor de Justiça, Gerson Barbosa, que assinou a portaria

Em 2012, a família Palma havia assinado um termo de comodato destinando o imóvel à Secretaria de Estado de Cultura para que fosse criado ali o Centro Cultural Nho Nho de Manduca – Casa de Bem Bem. 

De acordo com o documento a que a reportagem teve acesso, a administração, manutenção e segurança da casa ficaram sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Cultura.

Constança Palma informou que o imóvel foi destinado à Secretaria porque a família não estava tendo mais condições de cuidar do espaço. 

Em 2016, a revitalização do casarão passou a fazer parte do PAC Cidades Históricas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) junto com a Prefeitura de Cuiabá.

Segundo o Iphan, o projeto foi orçado em R$ 2.150.648,25 e deveria ser executado pela X Nova Fronteira, que ganhou a licitação da Prefeitura.

Já no dia 24 de novembro, a Prefeitura de Cuiabá anunciou que as obras de restauração seriam retomadas pela empresa X Nova Fronteira.

No entanto, no dia 10 de dezembro a estrutura da Casa de Bem-Bem foi danificada pelas chuvas. O imóvel, que já estava deteriorado pelo abandono, ficou destruído após um temporal durante a madrugada. 

Uma semana antes, parte da estrutura do imóvel já havia desabado, também em razão das constantes pancadas de chuva que atingiram a Capital mato-grossense.

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2018
18.10.18 15h03 » Prado diz que MPE pode ser parceiro estratégico da gestão Mendes
17.10.18 17h33 » MPE vê “trama de mentiras” e pede prisão de PM réu por grampos
16.10.18 14h57 » Gaeco: delegado e policiais usavam sacolas para asfixiar vítimas
16.10.18 14h42 » Loja manda deficiente auditivo desbloquear cartão por telefone
16.10.18 11h19 » Gaeco prende delegado e investigadores por suspeita de tortura
15.10.18 17h55 » MPE vê inconsistência em monitoramento; juiz pede explicação
10.10.18 16h10 » Casa noturna diz que cabo frequentou o local em horário proibido
05.10.18 15h53 » MPE vai usar drones contra a compra de votos e boca de urna
05.10.18 15h25 » MPE: Zaqueu criou Núcleo de Inteligência para "satisfação pessoal"
04.10.18 17h21 » MPE diz que cabo não deve ter atenuante de pena por confissão



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet