Artigos
  • EMANUEL BEZERRA JUNIOR
    Será que o momento atual é o mesmo de 1996, quando a Lei Kandir foi criada? Será que o modelo interessa?
  • VICTOR MAIZMAN
    Juridicamente é irrelevante o nome que se dá ao tributo, devendo ser definido o tributo através de seu fato gerador
  • RENATO GOMES NERY
    Não pode a Justiça afirmar que tal cor um dia é preta e no outro dia é branca; isto leva ao descrédito
MPE / REPASSE DE DUODÉCIMO

Tamanho do texto A- A+
13.03.2018 | 11h01
Zaque nega pedido para investigar Taques e envia caso a PGJ
Requerimento havia sido feito pelo sindicato que representa servidores do Poder Judiciário
MidiaNews
O promotor Mauro Zaque, que indeferiu pedido de sindicato
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O promotor de Justiça Mauro Zaque negou um pedido de investigação contra o governador Pedro Taques (PSDB) formulado pelo Sindicato do Poder Judiciário de MT (Sinjusmat).

A decisão do membro do Ministério Público Estadual é do dia 28 de fevereiro.

No pedido, o sindicato aponta possível crime de responsabilidade do governador, em razão do não pagamento do duodécimo (repasse constitucional) aos Poderes e instituições na integralidade.

Nos últimos anos, Taques vem encontrando dificuldades em realizar os repasses em dia. Conforme o sindicato, os atrasos vêm ocorrendo mesmo sem a justificativa de “frustração de receitas” por parte do Estado.

Entende este Núcleo que cópia do expediente deve ser encaminhada ao exmo. procurador geral de Justiça, para conhecimento e providência que entender pertinentes

Ao analisar o pedido, o promotor citou a gravidade dos fatos relatados que, se confirmados, são de natureza “gravíssima”, exigindo desta forma o acompanhamento por parte do Ministério Público.

Zaque citou ainda que a prática relatada pelo Sinjusmat pode configurar improbidade administrativa por parte do governador.

No entanto, afirmou que a apuração de eventual irregularidade compete ao procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo.

“Assim, entende este Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa da Capital que cópia do expediente deve ser encaminhada ao exmo. procurador-geral de Justiça, para conhecimento e providência que entender pertinentes”, diz trecho do despacho.

“Diante da ausência de elementos suficientes que possam justificar a instauração de procedimento investigatório ou de ação civil pública pelo Ministério Público, indefiro o pedido de abertura de investigação em relação à presentes notícia, ressaltando-se que em caso de fatos novos o feito poderá ser arquivado”, concluiu Zaque.

Leia mais sobre o assunto:

Juíza nega pedido de sindicato para bloquear contas do Governo

Taques afirma que não cabe a sindicato debater duodécimos


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2018
18.10.18 15h03 » Prado diz que MPE pode ser parceiro estratégico da gestão Mendes
17.10.18 17h33 » MPE vê “trama de mentiras” e pede prisão de PM réu por grampos
16.10.18 14h57 » Gaeco: delegado e policiais usavam sacolas para asfixiar vítimas
16.10.18 14h42 » Loja manda deficiente auditivo desbloquear cartão por telefone
16.10.18 11h19 » Gaeco prende delegado e investigadores por suspeita de tortura
15.10.18 17h55 » MPE vê inconsistência em monitoramento; juiz pede explicação
10.10.18 16h10 » Casa noturna diz que cabo frequentou o local em horário proibido
05.10.18 15h53 » MPE vai usar drones contra a compra de votos e boca de urna
05.10.18 15h25 » MPE: Zaqueu criou Núcleo de Inteligência para "satisfação pessoal"
04.10.18 17h21 » MPE diz que cabo não deve ter atenuante de pena por confissão



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet