Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Quando o valor do dólar aumenta frente o real, a Petrobras majora o preço dos combustíveis junto às refinarias
  • ROSANA LEITE DE BARROS
    A Câmara aprovou legislação estabelecendo medidas de combate à discriminação contra transgêneros
  • VINÍCIUS SEGATTO
    O ato de licitar refere-se à oferta de algum bem ou serviço à coletividade, para que se atinja o valor mais adequado e plausível, mediante lances
  • EMANUEL BEZERRA JUNIOR
    Será que o momento atual é o mesmo de 1996, quando a Lei Kandir foi criada? Será que o modelo interessa?
MPE / INCINERAÇÃO DE REMÉDIOS

Tamanho do texto A- A+
01.02.2018 | 14h31
MPE investiga secretário de Saúde por suspeita de improbidade
Portaria informa que Luiz Soares teria mandado queimar medicamentos da Farmácia de Alto Custo
Alair Ribeiro/MidiaNews
O secretário de Estado de Saúde, Luiz Soares, que é investigado pelo MPE
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu um inquérito civil para investigar suposto ato de improbidade administrativa cometido pelo secretário de Estado de Saúde, Luiz Soares.

O procedimento foi instaurado pelo promotor de Justiça Celio Joubert Fúrio, titular da 35ª Promotoria de Justiça Cível de Cuiabá, por meio da portaria 01/2018, assinada no dia 29 de janeiro.

De acordo com o documento, o inquérito visa apurar provável incineração de vinte toneladas de medicamentos e outros materiais, como fraldão e preservativo comprados para a Farmácia de Alto Custo de Cuiabá.

“Estou atrás das informações, porque as notícias que chegaram são de que são medicamentos vencidos. Eu preciso dessa confirmação, por isso instaurei o procedimento”, disse o promotor ao MidiaNews.

Fúrio destacou, no entanto, que mesmo que os medicamentos estejam vencidos, a suposta incineração caracteriza "um problema de gerenciamento". 

“Porque se você compra e não usa, não precisa comprar. Eu não sei quais são esses medicamentos e nem quanto tudo isso custou aos cofres públicos. Por enquanto, eu vou reunir as documentações do que está sendo descartado. Faço primeiro essa análise, depois vejo as outras diligências possíveis e recomendáveis”, disse, ao afirmar que ainda não deve intimar o secretário a depor.

No inquérito, o promotor determinou que seja verificado se as diligências ordenadas já foram realizadas.

"Em caso positivo e não existindo qualquer manifestação deste, certificar e fazer os autos conclusos para nova apreciação", pontuou.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2018
22.10.18 15h30 » José Borges e Mauro Curvo disputam o comando do MPE em MT
18.10.18 15h03 » Prado diz que MPE pode ser parceiro estratégico da gestão Mendes
17.10.18 17h33 » MPE vê “trama de mentiras” e pede prisão de PM réu por grampos
16.10.18 14h57 » Gaeco: delegado e policiais usavam sacolas para asfixiar vítimas
16.10.18 14h42 » Loja manda deficiente auditivo desbloquear cartão por telefone
16.10.18 11h19 » Gaeco prende delegado e investigadores por suspeita de tortura
15.10.18 17h55 » MPE vê inconsistência em monitoramento; juiz pede explicação
10.10.18 16h10 » Casa noturna diz que cabo frequentou o local em horário proibido
05.10.18 15h53 » MPE vai usar drones contra a compra de votos e boca de urna
05.10.18 15h25 » MPE: Zaqueu criou Núcleo de Inteligência para "satisfação pessoal"



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet