Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Quem exige tributo deve apontar o seu exato valor, com critérios objetivos
  • GISELE NASCIMENTO
    É assustador o tanto de mulheres que têm sido assassinadas em Mato Grosso nos últimos tempos
  • LUIZ FLÁVIO GOMES
    Não agir com igualdade perante todos significa um torpedo contra a própria noção de justiça
MPE / INCINERAÇÃO DE REMÉDIOS

Tamanho do texto A- A+
01.02.2018 | 14h31
MPE investiga secretário de Saúde por suspeita de improbidade
Portaria informa que Luiz Soares teria mandado queimar medicamentos da Farmácia de Alto Custo
Alair Ribeiro/MidiaNews
O secretário de Estado de Saúde, Luiz Soares, que é investigado pelo MPE
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu um inquérito civil para investigar suposto ato de improbidade administrativa cometido pelo secretário de Estado de Saúde, Luiz Soares.

O procedimento foi instaurado pelo promotor de Justiça Celio Joubert Fúrio, titular da 35ª Promotoria de Justiça Cível de Cuiabá, por meio da portaria 01/2018, assinada no dia 29 de janeiro.

De acordo com o documento, o inquérito visa apurar provável incineração de vinte toneladas de medicamentos e outros materiais, como fraldão e preservativo comprados para a Farmácia de Alto Custo de Cuiabá.

“Estou atrás das informações, porque as notícias que chegaram são de que são medicamentos vencidos. Eu preciso dessa confirmação, por isso instaurei o procedimento”, disse o promotor ao MidiaNews.

Fúrio destacou, no entanto, que mesmo que os medicamentos estejam vencidos, a suposta incineração caracteriza "um problema de gerenciamento". 

“Porque se você compra e não usa, não precisa comprar. Eu não sei quais são esses medicamentos e nem quanto tudo isso custou aos cofres públicos. Por enquanto, eu vou reunir as documentações do que está sendo descartado. Faço primeiro essa análise, depois vejo as outras diligências possíveis e recomendáveis”, disse, ao afirmar que ainda não deve intimar o secretário a depor.

No inquérito, o promotor determinou que seja verificado se as diligências ordenadas já foram realizadas.

"Em caso positivo e não existindo qualquer manifestação deste, certificar e fazer os autos conclusos para nova apreciação", pontuou.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2018
19.04.18 16h43 » Fávaro diz “estranhar” ação e nega ter impedido fiscalização
19.04.18 11h41 » MPE exonera promotor que desacatou policiais militares em MT
18.04.18 17h35 » MPE pede afastamento do secretário de Meio Ambiente de MT
18.04.18 10h31 » MPE firma TAC com construtora para recuperar nascente de córrego
17.04.18 15h51 » Promotor de Justiça será julgado nesta quinta-feira pelo MPE
17.04.18 14h51 » Ação que requer a perda de terrenos baldios deve ser julgada
14.04.18 11h51 » “MPE não vai ser usado por políticos para atacar adversários”
10.04.18 09h47 » MPE pede que vítimas tenham atendimento diferenciado
04.04.18 16h38 » MPE quer que fundo proposto por Taques auxilie os filantrópicos
03.04.18 10h58 » MPE vê edital obscuro e orienta que Governo suspenda licitação



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet