Artigos
  • FRANCISCO BRITO JUNIOR
    Os partidos pequenos precisam traçar estratégias para continuar sua existência por meio de registro de candidatos com força eleitoral
  • ANTONIO SÉRGIO PITOMBO
    Este tipo de profissional do Direito engana a si mesmo e a seus clientes
  • JOSÉ RENATO CORDOVEZ
    MT e outros Estados erraram ao instituir tarifas sobre a base de cálculo da energia elétrica
  • LUIZ FLÁVIO GOMES
    Depois de uma devastadora recessão econômica e uma série de instabilidades políticas, vivemos uma ressaca dramática
MPE / ATRASOS DO GOVERNO

Tamanho do texto A- A+
24.01.2018 | 10h21
Curvo: “Não tem como viver mais um ano só para pagar a folha”
Procurador-geral de Justiça diz que Executivo deve pouco mais de R$ 50 milhões ao órgão
Alair Ribeiro/MidiaNews
O procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo: atraso de duodécimo
DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, voltou a criticar o atraso, por parte do Governo do Estado, no pagamento do duodécimo - repasse constitucional para custear as instituições do Estado.

O Executivo deve ao Ministério Público Estadual (MPE) R$ 56 milhões. Para todos os Poderes, a dívida é de R$ 262,6 milhões, em relação aos repasses de 2017.

Curvo disse que o órgão não pode atravessar 2018 apenas para pagar salário de servidor. Segundo ele, o MPE cortou todos os investimentos no ano passado por conta dos atrasos.

“Toda parte de investimento foi parada. Então, quando você não investe, começa a ter uma série de problemas. E o investimento que a gente precisa é isso, fazer uma manutenção, uma reforma, e está tudo parado. O que a gente conseguiu no ano passado foi pagar a folha de pagamento. E ponto final”, afirmou.

Como suspendemos qualquer tipo de investimento, a gente acabou não fazendo dívida. O pagamento está em dia

“A gente não tem como viver mais um ano só de pagar a folha salarial. O impacto quem vai sentir é a sociedade, porque daqui a pouco a gente não tem condição de prestar os serviços que estamos prestando”, disse.

O procurador afirmou que o governador Pedro Taques (PSDB) ainda não assumiu um compromisso de pagamento dos valores. Até o momento, estão compromissados somente os valores de 2016, que serão pagos conforme houver excesso de arrecadação.

“Como suspendemos qualquer tipo de investimento, a gente acabou não fazendo dívida. O pagamento está em dia, para os que prestam serviços como limpeza e postos de vigilância. Isso a gente conseguiu colocar em dia, porque não é justo que os servidores dos órgãos recebam e essas pessoas que são essenciais não”, disse Curvo.

O governador Pedro Taques, por sua vez, disse ainda não ter uma data para pagamento dos valores. Entretanto, ressaltou que deve agendar para as próximas semanas reuniões com os chefes de Poderes para começar a tratar do assunto.

Leia também:

Chefe do MPE: “Só Deus sabe como mantemos as portas abertas”


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Fevereiro de 2018
17.02.18 10h18 » MP investiga viagens internacionais do prefeito do Rio
17.02.18 09h05 » Procurador assume culpa de acusações e isenta prefeita de Juara
17.02.18 08h49 » MPE pede afastamento do cargo e bloqueio de bens de prefeita
15.02.18 14h48 » MPE quer afastar vereador que tentou cassar prefeito executado
09.02.18 17h40 » Corregedoria investiga promotora por suposta ofensa a defensor
06.02.18 15h00 » MPE vai à Justiça para tentar retirar outdoor de Bolsonaro em MT
02.02.18 14h48 » MPE cobra melhorias nas unidades básicas de saúde
01.02.18 14h57 » MPE aciona Silval, ex-secretários e procuradores por improbidade
01.02.18 14h31 » MPE investiga secretário de Saúde por suspeita de improbidade
01.02.18 14h29 » MPE ingressa com ação contra lei de transporte da madeira



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet