Artigos
  • Ao constatar que seu cartão foi clonado, o consumidor deve imediatamente comunicar o fato a operadora do cartão realizando a contestação das compras que não realizou
  • LEONARDO CAMPOS
    Indispensável na solução de conflitos e no amadurecimento da sociedade
MPE / RIBEIRÃO CASCALHEIRA

Tamanho do texto A- A+
22.01.2018 | 11h35
MPE requer em ação que Energisa melhore qualidade do serviço
Caso não haja melhorias, MPE requer aplicação de multa diária de R$10 mil
Reprodução
DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Promotoria de Justiça de Ribeirão Cascalheira, ingressou com liminar em ação civil pública contra a distribuidora de energia “Energisa” para que tome as devidas providências na melhoria do serviço público de energia elétrica nos municípios de Ribeirão Cascalheira, Bom Jesus do Araguaia e Serra Nova Dourada.

Caso medidas não sejam adotadas no prazo de 30 dias para que a qualidade do serviço se equipare, no mínimo, aos índices da Aneel nos demais municípios do Estado, o MPE requer aplicação de multa diária de dez mil reais. 

Na ação, o promotor de Justiça João Ribeiro da Mota destaca que desde 2013 um inquérito apura a péssima qualidade dos serviços prestados pela concessionária que distribui energia no município.

Através do portal da Agência Nacional de Energia Elétrica foi constatado que o mesmo sistema, formado pelos conjuntos elétricos Alto Boa Vista II, Canarana e Querência do Norte, abastece os três municípios que compõe a Comarca de Ribeirão Cascalheira: Ribeirão Cascalheira, Bom Jesus do Araguaia e Serra Nova Dourada. 

Ainda de acordo com o Ministério Público, os três municípios têm sofrido com as constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica, gerando sérios prejuízos para diversos setores da vida social da população. A falta de qualidade no serviço de energia elétrica tem sido um grande adversário no objetivo de atrair empresas capazes de 

fomentar o desenvolvimento da região. “As tarifas pagas pelos consumidores continuam a sofrer queixas e reclamações impublicáveis”, destaca o promotor na ação. 

Após ser julgada procedente a presente ação, o Ministério Público pede que além da condenação da Energisa, a ANEEL seja oficiada a fim de enviar um técnico para acompanhar e fiscalizar se as providências tomadas pela empresa efetivamente melhorarão a prestação do serviço de energia elétrica nos referidos municípios.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Agosto de 2018
15.08.18 15h38 » MPE questiona benefício a servidor condenado por esquema na AL
13.08.18 17h06 » MPE exclui hospitais particulares de ação contra judicialização da saúde
13.08.18 13h05 » MPE suspeita de sobrepreço e investiga licitação de R$ 6 mi
10.08.18 15h52 » Promotor instaura inquérito para investigar crise na Santa Casa
10.08.18 10h45 » MPE pede intervenção federal no Estado; TJMT tenta conciliação
08.08.18 15h53 » MPE aciona Estado por lançar esgoto em parque na Capital
07.08.18 09h39 » MPE pede interdição parcial de unidade após surto de doença
06.08.18 15h26 » MPE aciona prefeitura e 21 moradores por construção em APP
04.08.18 10h02 » Justiça interdita food park na avenida do CPA
03.08.18 16h38 » Veja quanto cada deputado recebeu, segundo o MPE



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet