Artigos
  • Ao constatar que seu cartão foi clonado, o consumidor deve imediatamente comunicar o fato a operadora do cartão realizando a contestação das compras que não realizou
  • LEONARDO CAMPOS
    Indispensável na solução de conflitos e no amadurecimento da sociedade
MPE / TANGARÁ DA SERRA

Tamanho do texto A- A+
17.01.2018 | 08h52
MPE requer melhoria no transporte e pontos de ônibus
MPE pede que o Município apresente prazo mínimo para reforma de pontos ônibus
Reprodução
DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça Cível, ingressou com pedido liminar em ação civil pública contra o Município de Tangará da Serra e a empresa concessionária do serviço de transporte coletivo “D. Ruelis” para que melhorem a frota de ônibus, bem como realize a construção e reforma dos pontos de coleta de passageiros que não possuem estrutura física adequada. 

Na ação, a promotora de Justiça Claire Vogel Dutra destaca a necessidade de regularização documental da concessão do serviço público de transporte coletivo municipal; e se necessário que haja a realização de novo certame licitatório, com cláusulas que obriguem o aumento da rota e frotas mais modernas. 

O Ministério Público Estadual pede ainda que o Município apresente prazo mínimo para reforma e construção dos pontos de coleta de passageiros. Em caso de descumprimento de todas as questões referentes à concessão do serviço e a qualidade dos espaços utilizados pelos passageiros para espera dos ônibus, deverá ser aplicada multa diária de R$ 5 mil. 

As investigações tiveram início após denúncias recebidas pelo Ministério Público sobre a inserção do prazo de validade nos passes e o reajuste da tarifa em 20% sobre o valor original, o que ocasionou prejuízo aos consumidores, principalmente para os acadêmicos que se utilizam do transporte coletivo para se locomover para a Universidade Estadual de Mato Grosso – UNEMAT. 

“Por oportuno, se faz importante registrar que o contrato administrativo nº 187/2008 venceu no ano de 2013, ou seja, há mais de 04 (quatro) anos, tendo a Administração Pública se mantido inerte quanto à regularização desta situação, apesar de devidamente notificada para tanto”, traz trecho da ação.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Agosto de 2018
15.08.18 15h38 » MPE questiona benefício a servidor condenado por esquema na AL
13.08.18 17h06 » MPE exclui hospitais particulares de ação contra judicialização da saúde
13.08.18 13h05 » MPE suspeita de sobrepreço e investiga licitação de R$ 6 mi
10.08.18 15h52 » Promotor instaura inquérito para investigar crise na Santa Casa
10.08.18 10h45 » MPE pede intervenção federal no Estado; TJMT tenta conciliação
08.08.18 15h53 » MPE aciona Estado por lançar esgoto em parque na Capital
07.08.18 09h39 » MPE pede interdição parcial de unidade após surto de doença
06.08.18 15h26 » MPE aciona prefeitura e 21 moradores por construção em APP
04.08.18 10h02 » Justiça interdita food park na avenida do CPA
03.08.18 16h38 » Veja quanto cada deputado recebeu, segundo o MPE



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet