Artigos
  • FRANCISCO BRITO JUNIOR
    Os partidos pequenos precisam traçar estratégias para continuar sua existência por meio de registro de candidatos com força eleitoral
  • ANTONIO SÉRGIO PITOMBO
    Este tipo de profissional do Direito engana a si mesmo e a seus clientes
  • JOSÉ RENATO CORDOVEZ
    MT e outros Estados erraram ao instituir tarifas sobre a base de cálculo da energia elétrica
  • LUIZ FLÁVIO GOMES
    Depois de uma devastadora recessão econômica e uma série de instabilidades políticas, vivemos uma ressaca dramática
MPE / TANGARÁ DA SERRA

Tamanho do texto A- A+
17.01.2018 | 08h52
MPE requer melhoria no transporte e pontos de ônibus
MPE pede que o Município apresente prazo mínimo para reforma de pontos ônibus
Reprodução
DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça Cível, ingressou com pedido liminar em ação civil pública contra o Município de Tangará da Serra e a empresa concessionária do serviço de transporte coletivo “D. Ruelis” para que melhorem a frota de ônibus, bem como realize a construção e reforma dos pontos de coleta de passageiros que não possuem estrutura física adequada. 

Na ação, a promotora de Justiça Claire Vogel Dutra destaca a necessidade de regularização documental da concessão do serviço público de transporte coletivo municipal; e se necessário que haja a realização de novo certame licitatório, com cláusulas que obriguem o aumento da rota e frotas mais modernas. 

O Ministério Público Estadual pede ainda que o Município apresente prazo mínimo para reforma e construção dos pontos de coleta de passageiros. Em caso de descumprimento de todas as questões referentes à concessão do serviço e a qualidade dos espaços utilizados pelos passageiros para espera dos ônibus, deverá ser aplicada multa diária de R$ 5 mil. 

As investigações tiveram início após denúncias recebidas pelo Ministério Público sobre a inserção do prazo de validade nos passes e o reajuste da tarifa em 20% sobre o valor original, o que ocasionou prejuízo aos consumidores, principalmente para os acadêmicos que se utilizam do transporte coletivo para se locomover para a Universidade Estadual de Mato Grosso – UNEMAT. 

“Por oportuno, se faz importante registrar que o contrato administrativo nº 187/2008 venceu no ano de 2013, ou seja, há mais de 04 (quatro) anos, tendo a Administração Pública se mantido inerte quanto à regularização desta situação, apesar de devidamente notificada para tanto”, traz trecho da ação.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Fevereiro de 2018
17.02.18 10h18 » MP investiga viagens internacionais do prefeito do Rio
17.02.18 09h05 » Procurador assume culpa de acusações e isenta prefeita de Juara
17.02.18 08h49 » MPE pede afastamento do cargo e bloqueio de bens de prefeita
15.02.18 14h48 » MPE quer afastar vereador que tentou cassar prefeito executado
09.02.18 17h40 » Corregedoria investiga promotora por suposta ofensa a defensor
06.02.18 15h00 » MPE vai à Justiça para tentar retirar outdoor de Bolsonaro em MT
02.02.18 14h48 » MPE cobra melhorias nas unidades básicas de saúde
01.02.18 14h57 » MPE aciona Silval, ex-secretários e procuradores por improbidade
01.02.18 14h31 » MPE investiga secretário de Saúde por suspeita de improbidade
01.02.18 14h29 » MPE ingressa com ação contra lei de transporte da madeira



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet