Artigos
  • GILMAR MENDES
    Esse procedimento acaba sendo o meio para coibir interpretações equivocadas e mesmo abusos na prisão
  • ELVIS KLAUK JR
    Antes de fechar negócio é muito importante verificar se o imóvel está com os respectivos documentos em ordem
  • PAULO LEMOS
    Na política, há um quadro crônico e agudo de delírios, alucinações, desejos, impulsos e compulsões
MPE / PEIXOTO

Tamanho do texto A- A+
10.01.2018 | 08h41
MPE pede que ex-prefeito e mais 9 restituam os cofres públicos
Eles são acusados de receber irregularmente adiantamentos sem a prestação de contas dos valores
MidiaNews
Fachada do Ministério Público do Estado de Mato Grosso
DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de Peixoto de Azevedo, ingressou com ação de improbidade administrativa com pedido de ressarcimento ao erário contra dez servidores públicos, entre eles, o ex-prefeito do município Sinvaldo Santos Brito.

Eles são acusados de receberem irregularmente adiantamentos sem a devida prestação de contas dos valores pagos pelos cofres municipais.

De acordo com a promotora de Justiça Daniele Crema da Rocha de Souza, a ação é resultado de uma busca e apreensão realizada pela Promotoria de Justiça na Prefeitura de Peixoto de Azevedo no ano de 2016, oportunidade em que se constatou inúmeras despesas referentes a adiantamentos desacompanhadas de prestação de contas ou com prestações de contas instruídas com notas fiscais falsas.

Segundo ela, o prejuízo ao erário estimado no valor total de R$162.961,49 foi decorrente do total descontrole na concessão de adiantamentos a servidores municipais, sendo o gestor e os órgãos de controle interno absolutamente omissos no cumprimento do dever de fiscalizarem a prestação de contas dos valores pagos por meio de adiantamentos.

No decorrer do Inquérito Civil instaurado pelo Ministério Público foi também expedida notificação ao atual gestor recomendando rigor na concessão de despesas por meio de adiantamentos e orientada a fiscalização efetiva das prestações de contas apresentadas pelos servidores públicos.

Na esfera extrajudicial, o Ministério Público empreendeu medidas que asseguraram o ressarcimento do dano ao erário no valor de R$ 84.422,40 e ajuizou medida para obter o ressarcimento do valor restante estimado no importe de R$ 78.539,00, além da aplicação das sanções previstas na Lei nº8.429/92 pela prática dos atos de improbidade administrativa pelos servidores envolvidos.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Janeiro de 2018
18.01.18 09h12 » MPE denuncia desembargadora de MS que teve filho preso por tráfico
17.01.18 17h26 » MPE investiga oficiais por suposta venda ilegal de equipamentos
17.01.18 09h59 » MPE: Estado pode ter comprado a mesma área duas vezes
17.01.18 08h52 » MPE requer melhoria no transporte e pontos de ônibus
15.01.18 14h55 » MPE investiga incentivos fiscais ao Malai Manso Resort
12.01.18 16h53 » MPE investiga áudio em que Jajah acusaria Wilson de exigir verba
12.01.18 16h15 » MPE investiga possíveis danos ambientais e urbanos em reforma
12.01.18 15h59 » MPE e MPF criam força-tarefa para finalizar processos eleitorais
11.01.18 16h08 » MPE: médica acusada da morte de prefeito usou certificado falso
11.01.18 09h20 » MPE: mandados de prisão não impedem progressão de regime



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet