Artigos
  • GONÇALO ANTUNES DE BARROS NETO
    O culto à decisão da maioria, a vontade geral capitaneada pelo legislador, foi substituída pela vontade constitucional
MPE / SUSPEITA DE FRAUDES

Tamanho do texto A- A+
31.10.2017 | 14h45
MPE cita inércia de Câmara e “sugere” cassação de prefeita
Promotor citou, como exemplo, 45 processos de licitação com suspeitas de irregularidades, em Juara
Reprodução
A prefeita Luciane Bezerra: atos são investigados pelo MPE
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O promotor de Justiça Osvaldo Moleiro Neto, da 1ª Promotoria de Justiça Cível de Juara (670 km a Médio-Norte), encaminhou um ofício à Câmara de Vereadores do Município, cobrando a adoção de medidas contra a prefeita Luciane Bezerra (PSB), em razão de supostas irregularidades em sua gestão.

No documento, o promotor cita uma denúncia oferecida contra a prefeita pelo MPE, além de uma ação civil pública pedindo a condenação de Luciane por atos de improbidade administrativa.

Ao longo do ofício, Neto elenca que 45 procedimentos de licitação realizados por Luciane estão sendo alvo de investigação por suspeita de irregularidades. Todos realizados neste primeiro ano de gestão da prefeita.

Surpreende o fato de que, até o momento, nada de concreto foi realizado pela Câmara Municipal de Juara/MT visando à responsabilização da Prefeita de Juara/MT por infrações político-administrativas

Dentre eles, 23 procedimentos feitos por meio de dispensa de licitação, 17 cartas convite e cinco tomadas de preço.

Também conforme o promotor, 11 inquéritos civis já foram instaurados pela promotoria de Juara, todos relacionados com irregularidades em licitações e contratos administrativos.

Por fim, o promotor Osvaldo Neto ressalta que o MPE também já ingressou com ação civil pública contra a gestora, já que ela não vem respondendo diversos ofícios requisitórios, inclusive dos próprios vereadores do Município.

Mesmo com todos os fatos acima listados, o promotor cita que a Câmara não tomou qualquer providência contra a prefeita.

“Surpreende o fato de que, até o momento, nada de concreto foi realizado pela Câmara Municipal de Juara/MT visando à responsabilização da Prefeita de Juara/MT por infrações político-administrativas, nos termos do artigo 4º, do Decreto-Lei nº 201/1967”, afirmou o promotor.

Ele lembra que tal decreto prevê, inclusive, a cassação do mandato da prefeita em razão das infrações político-administrativas por ela praticadas.

Por fim, o promotor ressaltou que, caso a Câmara opte por um eventual processo de cassação do mandado da prefeita, o rito deverá obedecer ao artigo 5º do decreto lei 201/1967.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Fevereiro de 2018
20.02.18 17h55 » Savi: “Não tenho medo do MPE; responderei delatores na Justiça”
20.02.18 08h32 » Delator diz que esquema começou com R$ 1,5 mi para Silval e Savi
20.02.18 08h21 » Juiz atende pedido do MPE e afasta prefeita de Juara por 180 dias
20.02.18 08h01 » Secretário da Assembleia recebeu 14 cheques de Botelho, diz MPE
19.02.18 17h39 » MPE diz que "organização criminosa" era composta por 3 núcleos
19.02.18 15h45 » MPE pediu a prisão de 49 acusados; desembargador negou
19.02.18 11h22 » Desde 2013, MPE tenta suspender contrato com empresa suspeita
17.02.18 10h18 » MP investiga viagens internacionais do prefeito do Rio
17.02.18 09h05 » Procurador assume culpa de acusações e isenta prefeita de Juara
17.02.18 08h49 » MPE pede afastamento do cargo e bloqueio de bens de prefeita



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet