Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
MPE / SEMÁFOROS INTELIGENTES

Tamanho do texto A- A+
20.09.2017 | 11h45
MPE investiga adesão da Prefeitura a pregão de R$ 15 milhões
Promotor Roberto Turin citou possíveis danos de "elevada monta" aos cofres do Município de Cuiabá
Alair Ribeiro/MidiaNews
O promotor de justiça Roberto Turin, que conduz a investigação
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Estado (MPE) instaurou um inquérito civil para apurar possíveis irregularidades e danos ao erário na contratação da empresa Semex S.A de C.V pela Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) de Cuiabá, ao custo de R$ 15,4 milhões.

A contratação ocorreu por meio de adesão a um pregão eletrônico realizado pela Prefeitura de Aracaju (SE) e prevê a aquisição e implantação de um sistema inteligente de semáforos na Capital. Esse sistema possui uma tecnologia que permite a percepção da necessidade do trânsito em tempo real.

O inquérito é conduzido pelo promotor de Justiça Roberto Aparecido Turin e motivado por uma representação encaminhada ao MPE pela ong Observatório Social de Cuiabá.

Conforme o promotor, a representação aponta uma série de supostas irregularidades no processo que culminou na adesão ao pregão realizado em Aracaju, como por exemplo, a ausência de estudos técnicos para implantação do referido sistema de semáforos.

Antenor

O secretário Antenor Figueiredo, que deverá apresentar informações ao MPE

O documento citou ainda a falta de comprovação da necessidade de tal contratação.

De acordo com o promotor, existe a possibilidade de que a contratação “acarrete danos de elevada monta ao Município de Cuiabá, sendo relevante verificar os fatos noticiados”.

Ao instaurar o inquérito, Turin determinou a notificação do secretário da Semob, Antenor Figueiredo.

O secretário receberá uma cópia da representação formulada pelo Observatório Social e deverá se manifestar sobre cada uma das irregularidades apontadas, especialmente quanto à suposta ausência de estudos técnicos para a implantação do sistema.

Ele terá também que apresentar ao MPE cópia completa digitalizada do processo administrativo que culminou na contratação da Semex e do contrato firmado com a empresa, além de documentos relativos a pagamentos que já tenham sido efetuados, tais como empenhos, liquidações, notas fiscais e notas de ordem bancária.

Outro Lado

Ao MidiaNews, o secretário de Comunicação José Roberto Amador afirmou que, assim que notificado, o Município prestará todos os esclarecimentos solicitados pelo Ministério Público.

Segundo ele, desde que assumiu a gestão, o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) tomou a decisão de renovar o sistema semafórico da cidade, em razão de ser muito antigo e ultrapassado do ponto de vista tecnológico.

Conforme Amador, assim que o processo licitatório realizado em Aracaju foi homologado, a Prefeitura de Cuiabá manifestou interesse em fazer adesão à ata de registro de preço, por entender que tal procedimento traz uma economia de etapas a licitação.

“A Prefeitura fez o processo de adesão e emitiu uma ordem de serviço para iniciar o projeto. Ocorre que houve uma decisão liminar em Aracaju suspendendo o processo realizado naquela cidade. Então, a Prefeitura de Cuiabá decidiu suspender o procedimento até que haja um desfecho da questão judicial lá”, disse o secretário.

Segundo Amador, já há uma manifestação do Ministério Público de Sergipe favorável ao seguimento do certame naquele Estado.

Ainda de acordo com o secretário, a Prefeitura de Cuiabá tem "absoluta segurança" de que o processo licitatório e a adesão à ata ocorreu de forma "lícita e transparente".

“Temos a segurança de que o interesse público foi preservado. A Prefeitura não fez nenhum movimento ilegal. Vamos aguardar o desenrolar da questão lá em Aracaju e também vamos prestar todos os esclarecimentos que forem necessários ao MPE”, afirmou Amador.

Decisão no TJSE (Atualizada às 11h38)

A Prefeitura informou no final da manhã desta quarta-feira que o Tribunal de Justiça do Sergipe revogou a liminar e permitiu o prosseguimento da licitação da Prefeitura de Aracaju.

Leia mais sobre o assunto:

Prefeitura adere a pregão para troca de semáforos em Cuiabá


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
13.12.17 11h17 » MPE instaura inquérito contra Savi e Silval por suposto esquema
13.12.17 09h07 » CNMP arquiva reclamação contra dois procuradores de MT
12.12.17 14h37 » Tribunal de Justiça bloqueia R$ 227 mil das contas de ex-prefeito
11.12.17 15h10 » Odebrecht devolve R$ 1,2 mi e Conselho do MPE arquiva inquérito
10.12.17 17h00 » “Turma do colarinho branco delata porque não aguenta cadeia”
08.12.17 14h00 » MPE investiga contrato de gestão do Hospital de Rondonópolis
07.12.17 15h52 » MPE diz que vereadores fraudaram lei para beneficiar empresa
05.12.17 18h15 » Promotor recorre ao STJ e pede nova prisão de pastor
05.12.17 14h45 » CNMP não vê irregularidades e arquiva reclamação contra Zaque
04.12.17 16h48 » Gaeco detalha suspeitas contra novos investigados na Convescote



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet