Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
MPE / POLÊMICA DOS GRAMPOS

Tamanho do texto A- A+
16.09.2017 | 08h20
Curvo rebate “descuido” e cogita acionar desembargador
Chefe do MPE questionou crítica de Orlando Perri sobre secretário não ter sido denunciado
Marcus Mesquita/MidiaNews
O procurador Mauro Curvo, que rebateu declaração de magistrado
LUCAS RODRIGUES
DA REDAÇÃO

O procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, contestou as críticas do desembargador Orlando Perri, que o acusou de ter agido com “descuido” ao não denunciar o secretário de Justiça e Direitos Humanos, coronel Airton Siqueira, na ação que apura crimes militares relativos ao esquema de interceptação telefônica clandestina no Estado.

A crítica foi feita na noite da última quinta-feira (14), ocasião em que o Pleno do TJ-MT recebeu a denúncia contra cinco outros militares.

Na ocasião, Perri afirmou que havia indícios contra o secretário tão evidentes quanto os de outros envolvidos que foram denunciados por Curvo.

O desembargador ainda afirmou, sem citar nomes, que o Ministério Público Estadual (MPE), em várias situações, estaria a “escolher” quem vai ou não denunciar.

Já Mauro Curvo disse ter lamentado e ficado surpreso com a postura de Perri, uma vez que “jamais se posicionou em público de forma generalizada questionando determinada decisão”.

Em nenhum momento eu vim a público insinuar que alguém poderia estar sendo protegido

“Sempre agimos com ética e respeito à independência funcional do magistrado que, de forma fundamentada, tem sua liberdade de convencimento. Quando não concordamos com determinada decisão buscamos os meios jurídicos para defendermos o nosso posicionamento”, disse.

Curvo exemplificou que, na mesma investigação, pediu a Perri uma busca e apreensão na Casa Miliar, solicitação que foi negada pelo desembargador.

“Em nenhum momento eu vim a público insinuar que alguém poderia estar sendo protegido”, afirmou.

O procurador ainda afirmou que vai aguardar a publicação da decisão do TJ-MT, que contém a manifestação de Perri, para verificar a possibilidade de “adoção das medidas judiciais cabíveis”.

Nos bastidores, os comentários dão conta de que Curvo deverá interpelar Perri judicialmente, no intuito de que o desembargador cite, de forma direta, quais são os casos em que o MPE teria “escolhido” quem iria ou não denunciar.

“Sem indícios”

Durante evento em Várzea Grande, na manhã desta sexta-feira (15), Curvo também comentou o caso e disse que o secretário Airton Siqueira não foi denunciado porque, na ocasião do oferecimento da denúncia, não havia indícios suficientes contra ele.

“Precisávamos melhorar as investigações, produzir mais provas, para saber se de fato ele estava envolvido ou não. Nunca vamos oferecer denúncia contra alguém sem que haja provas suficientes. Temos que ter responsabilidade naquilo que fazemos”.

“Vamos ver o desenrolar das investigações para ver se será oferecida denúncia ou não contra ele. Tomara que haja, pois toda pessoa que comete crime tem que ser responsabilizada”, finalizou.

Leia mais sobre o assunto:

Perri critica MPE por não ter denunciado secretário nos “grampos”

TJ recebe denúncia e cinco militares viram réus por “grampos”

Perri: Coronel e cabo são principais responsáveis por grampos

Perri desdobra “caso dos grampos” em seis linhas de investigação


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
13.12.17 11h17 » MPE instaura inquérito contra Savi e Silval por suposto esquema
13.12.17 09h07 » CNMP arquiva reclamação contra dois procuradores de MT
12.12.17 14h37 » Tribunal de Justiça bloqueia R$ 227 mil das contas de ex-prefeito
11.12.17 15h10 » Odebrecht devolve R$ 1,2 mi e Conselho do MPE arquiva inquérito
10.12.17 17h00 » “Turma do colarinho branco delata porque não aguenta cadeia”
08.12.17 14h00 » MPE investiga contrato de gestão do Hospital de Rondonópolis
07.12.17 15h52 » MPE diz que vereadores fraudaram lei para beneficiar empresa
05.12.17 18h15 » Promotor recorre ao STJ e pede nova prisão de pastor
05.12.17 14h45 » CNMP não vê irregularidades e arquiva reclamação contra Zaque
04.12.17 16h48 » Gaeco detalha suspeitas contra novos investigados na Convescote



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet