Artigos
  • XÊNIA ARTMANN GUERRA
    “Evoluímos” para a repulsiva situação de uma advogada ser presa e algemada dentro de um fórum no exercício da profissão
  • JEAN CARVALHO
    Atribuo, sob a minha ótica, a responsabilidade da dificuldade passada pelo Poder Judiciário ao próprio Judiciário
  • LUIZ HENRIQUE LIMA
    Até na cela de uma prisão, uma boa leitura liberta o pensamento e desacorrenta a alma
MPE / IMPROBIDADE

Tamanho do texto A- A+
26.08.2017 | 15h40
MPE instaura inquérito para investigar três servidores da AL
Funcionários estariam em situação irregular na Casa; presidente também deve prestar esclarecimentos
MidiaNews
Vista da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, no Centro Político
JAD LARANJEIRA
DA REDAÇÃO

O promotor Célio Joubert Furio instaurou três inquéritos para investigar três servidores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Os procedimentos foram instaurados no dia 17 de agosto.

Conforme Fúrio, a investigação teve como base uma denúncia anônima registrada na Ouvidoria do MPE.

De acordo com a denúncia, os servidores B.M.S., P.C.O.S. e I.X.F. estariam em “situação irregular” no Poder Legislativo.

Na portaria, o promotor requisitou que sejam juntadas informações e cópias completas das fichas funcionais e financeira dos investigadores, bem como as cópias dos autos de “nomeações, exonerações, enquadramentos, classificação e efetividade, e demais documentos que comprovem a forma de acesso ao atual cago exercido” dos três.

“Caso estes documentos não existam ou não sejam localizados, deve a resposta se fazer acompanhar de certidão do setor responsável sobre a existência ou sumiço dos referidos documentos”, diz trecho da portaria.

O promotor afirmou que os indícios de improbidade trazem a necessidade de buscar mais informações para “o fim último de subsidiar medidas judiciais ou extrajudiciais porventura cabíveis”.

Além de instaurar o inquérito, Célio Fúrio oficiou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), para prestar informações sobre os fatos, por meio da Procuradoria Geral de Justiça.

“Ao presidente da AL-MT, via PGJ, requisitando informações sobre a existência de eventual sindicância ou processo administrativo ou ainda relatório de comissão específica instaurada na AL-MT para verificação da situação funcional do servidor (...) devendo em caso positivo, remeter ao MPE-MT cópias dos referidos documentos e eventual relatório sobre a conclusão e providências adotadas, bem como informações sobre o atual estágio e andamento dos trabalhos”, determinou.

O promotor também pediu que o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) envie informações sobre a existência de possíveis contribuições previdenciárias. 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2018
24.09.18 15h32 » MPE: esquema gerou mais de R$ 140 milhões em dano ambiental
21.09.18 11h25 » CNMP investiga promotora de MT por suposta ofensa a juíza e PM
18.09.18 17h25 » MPE denuncia empresária por suspeita de fraude na Sema
17.09.18 17h27 » Em denúncia à Justiça, MPE diz que cabo da PM foi a casa noturna
15.09.18 09h56 » Acordo entre MPE e Prefeitura veta construção de condomínio
12.09.18 16h38 » Conselho absolve promotores de acusação feita por condomínio
12.09.18 14h55 » MPE pede bloqueio de R$ 500 mil de prefeito de Barra, clube e vereadores
11.09.18 17h26 » MPE denuncia médica por homicídio, omissão de socorro e embriaguez
11.09.18 17h16 » Ao MPE, pacientes negam realização de cirurgias pagas a empresa
11.09.18 08h38 » MPE aciona Prefeitura e 9 moradores por aterro em nascente



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet