Artigos
  • RENATO NERY
    Esta forma de cobrança (protesto) canhestra demonstra o desapreço do Poder Público para com o contribuinte
  • CARLOS MONTENEGRO
    Ao que me parece, a lesão resta muito mais evidenciada à sociedade e não aos cofres públicos
  • FERNANDA RAMOS
    A Lei em questão trouxe sim é segurança jurídica tanto para as empresas como para os trabalhadores
Enquetes

Você acha que a Lava Jato corre o risco de ser inviabilizada pela lentidão da Justiça?

  • Sim
  • Não
Quinta, 06 de abril de 2017, 17h34

Tamanho do texto A- A+
MPE / BARRA DO GARÇAS
MPE firma TAC para evitar esgoto no Rio Garças
Empresa Águas de Barra do Garças foi autuada por lançar esgoto doméstico no Rio Garças
MidiaNews
MPE deu prazo de 60 dias para criação de um sistema de monitoramento
DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE), por meio da 3ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Garças, firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a empresa Águas de Barra do Garças, após a mesma ter sido autuada por lançar esgoto doméstico no Rio Garças, em desacordo com as exigências e regulamentos estabelecidos.

De acordo com o TAC, a concessionária terá que vistoriar a estação elevatória a cada 30 dias. Uma vez identificado o transbordamento de esgoto do poço de sucção, a empresa terá que paralisar, imediatamente, a lançamento de esgoto na estação, adotando as medidas de reparo no sistema de bombeamento.

A empresa terá, ainda, que adotar medidas de precaução, realizando inspeção e manutenção técnica preventiva na estação, com enfoque especial nos sistemas de segurança de prevenção à incidentes, de forma a evitar o escoamento de esgoto para o Rio garças, afastando, assim, eventuais riscos de dano ao meio ambiente.

No prazo de 60 dias a concessionária terá que montar um sistema de monitoramento que avise imediatamente da ocorrência de extravasamentos, evitando lançamentos indevidos. Pelo transbordamento ocorrido em 2016 a empresa terá que pagar uma indenização no valor de R$ 15.000,00 no prazo de 10 dias. O valor será repassado ao MPE para desenvolvimento de projetos ambientais ou ações de caráter social, de interesse comunitário ou público.

No termo ficou estabelecido, também, como medida de compensação ambiental, que a concessionária terá que firmar parceria com entidade ou órgão público para o desenvolvimento de plantio de mudas em áreas degradadas dentro do município de Barra do Garças, comprometendo-se a disponibilizar mudas para o plantio, carros para transportes e também palestras de conscientização, alertando e conscientizando a comunidade, para o uso devido da rede coletora de esgotamento sanitário. A concessionária tem o prazo de dois meses para apresentar projeto para concretização da parceria.

“O não cumprimento das obrigações assumidas pela empresa ensejará na imposição de multa no valor de R$ 10 mil, bem como multa de R$ 1 mil para o caso de ocorrência de novos lançamentos de esgoto na estação elevatória”, destacou o promotor de Justiça Marcos Brant Gambier Costa.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2017
26.04.17 11h02 » Procurador diz que "grileiros" ocupam Serra Ricardo Franco
25.04.17 17h44 » Procurador: acusações de advogado beiram “ao ridículo”
23.04.17 16h28 » “Ultrapassamos aquele ponto sem volta”, diz promotor sobre VLT
21.04.17 12h08 » MPE dá parecer favorável à prisão de jovem que estuprou cadela
20.04.17 14h19 » Extinção de parque "tem viés político", diz procurador
19.04.17 18h02 » Empresário paga R$ 500 mil para se livrar de ações do MPE
19.04.17 14h23 » MPE requer demolição de construções em APP no Coophamil
19.04.17 08h45 » MPE pede que prefeito exonere esposa, cunhada e primas
10.04.17 16h28 » MPE investiga 481 novos cargos da Câmara de Cuiabá
10.04.17 14h18 » Curvo diz que MP está “aberto” à delação de Riva



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet