Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
MPE / BARRA DO GARÇAS

Tamanho do texto A- A+
06.04.2017 | 17h34
MPE firma TAC para evitar esgoto no Rio Garças
Empresa Águas de Barra do Garças foi autuada por lançar esgoto doméstico no Rio Garças
MidiaNews
MPE deu prazo de 60 dias para criação de um sistema de monitoramento
DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE), por meio da 3ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Garças, firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a empresa Águas de Barra do Garças, após a mesma ter sido autuada por lançar esgoto doméstico no Rio Garças, em desacordo com as exigências e regulamentos estabelecidos.

De acordo com o TAC, a concessionária terá que vistoriar a estação elevatória a cada 30 dias. Uma vez identificado o transbordamento de esgoto do poço de sucção, a empresa terá que paralisar, imediatamente, a lançamento de esgoto na estação, adotando as medidas de reparo no sistema de bombeamento.

A empresa terá, ainda, que adotar medidas de precaução, realizando inspeção e manutenção técnica preventiva na estação, com enfoque especial nos sistemas de segurança de prevenção à incidentes, de forma a evitar o escoamento de esgoto para o Rio garças, afastando, assim, eventuais riscos de dano ao meio ambiente.

No prazo de 60 dias a concessionária terá que montar um sistema de monitoramento que avise imediatamente da ocorrência de extravasamentos, evitando lançamentos indevidos. Pelo transbordamento ocorrido em 2016 a empresa terá que pagar uma indenização no valor de R$ 15.000,00 no prazo de 10 dias. O valor será repassado ao MPE para desenvolvimento de projetos ambientais ou ações de caráter social, de interesse comunitário ou público.

No termo ficou estabelecido, também, como medida de compensação ambiental, que a concessionária terá que firmar parceria com entidade ou órgão público para o desenvolvimento de plantio de mudas em áreas degradadas dentro do município de Barra do Garças, comprometendo-se a disponibilizar mudas para o plantio, carros para transportes e também palestras de conscientização, alertando e conscientizando a comunidade, para o uso devido da rede coletora de esgotamento sanitário. A concessionária tem o prazo de dois meses para apresentar projeto para concretização da parceria.

“O não cumprimento das obrigações assumidas pela empresa ensejará na imposição de multa no valor de R$ 10 mil, bem como multa de R$ 1 mil para o caso de ocorrência de novos lançamentos de esgoto na estação elevatória”, destacou o promotor de Justiça Marcos Brant Gambier Costa.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
15.12.17 09h01 » MPE investiga conselheiro que deixou posto para fazer concurso
13.12.17 11h17 » MPE instaura inquérito contra Savi e Silval por suposto esquema
13.12.17 09h07 » CNMP arquiva reclamação contra dois procuradores de MT
12.12.17 14h37 » Tribunal de Justiça bloqueia R$ 227 mil das contas de ex-prefeito
11.12.17 15h10 » Odebrecht devolve R$ 1,2 mi e Conselho do MPE arquiva inquérito
10.12.17 17h00 » “Turma do colarinho branco delata porque não aguenta cadeia”
08.12.17 14h00 » MPE investiga contrato de gestão do Hospital de Rondonópolis
07.12.17 15h52 » MPE diz que vereadores fraudaram lei para beneficiar empresa
05.12.17 18h15 » Promotor recorre ao STJ e pede nova prisão de pastor
05.12.17 14h45 » CNMP não vê irregularidades e arquiva reclamação contra Zaque



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet