Artigos
  • IRAJÁ LACERDA
    Empresas que tiveram gastos com obrigações ambientais têm crédito de PIS e Cofins
  • GABRIELA SEVIGNANI
    É um direito do segurado que teve sua capacidade laborativa prejudicada
Artigos / PEDRO PATOCINIO

Tamanho do texto A- A+
28.02.2018 | 15h58
Chega de desmandos
Eleição após eleição, fomos até aqui, induzidos a "cometer os mesmos erros" ao reelegermos as mesmas pessoas
PEDRO PATOCINIO
O cenário político que vivemos no Brasil é sem sombra de dúvidas um dos mais caóticos da história. O grande problema é que os poderes instituídos para fazer valer a autonomia do povo e garantir a tão almejada e necessária harmonia social estão de alguma forma falidos moralmente e perdendo a legitimidade ética para dirimir sobre temas que são pertinentes à sociedade, salvo as exceções, que existem nas três esferas do Poder Estatal, a saber federal, estadual e municipal. 
 
Poderia dedicar páginas e mais páginas para tratar dos desmandos e falências verificadas junto ao Poder Público, a exemplo do que se vive na saúde, que está um caos, ou na educação, que continua com péssima qualidade e a segurança pública cada vez mais sucateada, por exemplo.
 
Contudo, atenho-me ao perigo que é viver sobre os comandos de desgoverno (Executivo e Legislativo), que de um lado tem pautado suas agendas apenas sobre o crivo do interesse próprio e não mais sobre o interesse público, que é o outro desta moeda e formado por um povo que está inerte diante de tudo que está acontecendo. 
 
Eleição após eleição, fomos até aqui, induzidos a "cometer os mesmos erros" ao reelegermos as mesmas pessoas. Esse induzimento é o exemplo claro de como oportunistas demagogos se valem das dificuldades sociais e despejam suas ideias baratas, conquistando votos e fieis, que infelizmente tem tratado determinadas figuras públicas com ter messiânico.

Poderia dedicar páginas e mais páginas para tratar dos desmandos e falências verificadas junto ao Poder Público

 
Tudo isso, faz com que ao invés de termos Ordem e Progresso, como está escrito em nossa bandeira nacional, tenhamos de fato uma desordem e um retrocesso, principalmente no investimento financeiro em serviços essenciais que estão previstos no artigo 6° da nossa Constituição Federal de 05 de outubro de 1988, que diz ser direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, entre outros direitos fundamentais para se ter uma vida com dignidade. 
 
Todavia, ainda há luz no fim do túnel. A pergunta é: Você quer ter um futuro? Quer que seus filhos e netos tenham um futuro? Então, levante-se e lute. Lutar é a condição necessária e fundamental para que possamos mudar este sistema. Só assim é que conseguiremos construir uma sociedade melhor e mais justa para todos. 
 
PEDRO PATOCINIO RODRIGUES SILVA é gestor em segurança pública e bacharel em Direito, especialista em Criminologia e Docência no Ensino Superior.

Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Março de 2019
22.03.19 14h48 » Embriaguez, seguro e indenização
22.03.19 14h44 » CARF
20.03.19 09h45 » Auxílio-acidente
20.03.19 09h42 » Isenção de Imposto de Renda para portadores de doenças graves
19.03.19 11h10 » “Caixa 2” e o STF: Acertos e efeitos da decisão
19.03.19 11h06 » Mediação em conflitos judicializados
19.03.19 11h04 » Força, Gilmar Mendes!
16.03.19 12h08 » Indenizações estatais pré-fixadas
16.03.19 12h07 » Que Ouvidoria queremos?
16.03.19 12h05 » O TCE e a UFMT



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet