Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
Artigos / PAULO LEMOS

Tamanho do texto A- A+
24.08.2017 | 09h30
Retrocesso na Defensoria: o povo paga a conta!
As instituições de controle precisam apurar quem é o responsável por esse atentado à cidadania
PAULO LEMOS

A Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso vem a reincidir na interrupção dos seus serviços em 15 (quinze) comarcas, alegando falta de recurso para manter os seus respectivos núcleos abertos, deixando à deriva milhares de jurisdicionados, sem acesso à justiça e defesa, a partir do dia 01 de setembro, segundo ato publicado no Diário Oficial e matéria jornalística constante no próprio portal virtual dela.

Pensei que não veria mais esse filme de terror e violação de direitos e garantias essenciais da população.

Trata-se da descontinuação de serviço essencial, que, em tese, não poderia sofrer dissolução de continuidade sem a responsabilização de alguém.

As instituições de controle precisam apurar quem é o responsável por esse atentado à cidadania.

A população, já desacreditada e desenganada com a inoperância geral e sistemática do Sistema de Justiça, por diversas variáveis que, inclusive, têm sido noticiadas na imprensa nacional, leva mais uma apunhalada nas costas e uma crava de punhal no coração, metaforicamente falando. E apesar das autoridades empurrarem uma ao colo da outra, a culpa grave, para não dizer ato de improbidade, é o povo quem novamente amarga o fel da derrota dos seus direitos fundamentais.

PAULO LEMOS é advogado e ex-Ouvidor-Geral da Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
11.12.17 07h00 » A indústria do dano moral
07.12.17 06h58 » Vingança prisional cara
05.12.17 21h00 » Diagnóstico tributário
05.12.17 20h00 » Julgando, sempre
Novembro de 2017
27.11.17 16h17 » Matemática do Crime
16.11.17 11h54 » A inclusão de surdos-mudos - 1
16.11.17 11h52 » Justiça eficaz
14.11.17 15h15 » Sobre quem faz e fica
14.11.17 09h25 » Responsabilidade Civil do médico à luz do Código de Defesa do Consumidor
14.11.17 09h18 » Impunidade que mata



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet