Artigos
  • GONÇALO ANTUNES NETO
    O poder está contaminado, não se cuida mais da manifestação do povo
  • JOAQUIM SPADONI
    Não há desenvolvimento econômico e social de um país fundado em fraudes e esquemas de corrupção
Artigos / ELVIS KLAUK

Tamanho do texto A- A+
19.05.2017 | 17h03
Mediação: ferramenta da paz social
A promoção da paz é uma alternativa para trazer um pouco de harmonia a esse povo
ELVIS KLAUK

É sabido que o estado de Mato Grosso é um dos mais violentos em conflitos envolvendo a disputa por terras no Brasil. Esta triste realidade se dá por uma series de fatores, entre os quais a burocracia estatal que é sem dúvida o maior desafio a ser sanado pelas autoridades.

Em uma sociedade onde o diálogo é quase nenhum e a individualidade se sobrepõe ao coletivo, os diferentes iniciam uma verdadeira batalha campal armada na defesa de seus interesses. E neste contexto, a promoção da paz é uma alternativa para trazer um pouco de harmonia a esse povo.

Um dos objetivos da Câmara Setorial Temática de Mediação de Conflitos Agrários e Regularização Fundiária Rural e Urbana da AL/MT é promover a cultura de paz social através da formação de mediadores especializados em conflitos fundiários.

A valorização das pessoas é de suma importância , uma vez que são elas as principais peças responsáveis pela resolução da divergência

Profissionais que terão como missão difundir a cultura da tolerância e respeito ao próximo. A mediação é um meio pacífico e amigável de resolução e boa administração de conflitos que se baseia no diálogo e na solidariedade humana.

Por meio dela, as próprias partes chamam para si a responsabilidade do problema vivido e tentam resolve-lo por meio do diálogo. Conta com o auxílio do mediador, terceiro imparcial e capacitado que facilita o diálogo entre os envolvidos no litígio.

A valorização das pessoas é de suma importância , uma vez que são elas as principais peças responsáveis pela resolução da divergência. Neste sentido, o ganha-ganha, outro aspecto relevante da mediação, ocorre porque se tenta chegar a um acordo benéfico para todos os envolvidos.

O conflito, normalmente, é compreendido como algo negativo, que coloca as partes umas contra as outras. Porém, a mediação tenta mostrar que as divergências são naturais e necessárias, pois possibilitam o crescimento e as mudanças.

Neste sentido, negativo é a má-administração do conflito. A mediação possibilita a discussão do conflito real proporcionando o restabelecimento do diálogo entre as partes. E esse conflito real pode, enfim, ser trabalhado e dirimido.

ELVIS KLAUK JUNIOR é advogado e Presidente da Câmara Setorial Temática de Mediação de Conflitos Agrários e Regularização Fundiária Rural e Urbana da AL/MT.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Maio de 2017
26.05.17 08h32 » Tá difícil...
25.05.17 15h41 » Vida de gado, povo marcado e (in)feliz
25.05.17 15h39 » Código de defesa do contribuinte
25.05.17 15h33 » Impeachment: mais um?
23.05.17 08h05 » Princípio da imparcialidade
20.05.17 08h46 » A modernização trabalhista?
19.05.17 17h03 » Mediação: ferramenta da paz social
19.05.17 16h56 » Razoabilidade e coerência
19.05.17 16h51 » As prerrogativas dos advogados
13.05.17 09h26 » Arapongagem pantaneira



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet