Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Compete aos municípios instituir o tributo nos termos de uma Lei Complementar editada pelo Congresso Nacional
  • GISELE NASCIMENTO
    Qual terá sido o mais vultoso escândalo de desvio de recursos públicos no Brasil? Alguns dirão que foi o Mensalão
Artigos / PERCIVAL PUGGINA

Tamanho do texto A- A+
07.02.2017 | 15h33
Ives Gandra no STF
Ninguém questiona o católico progressista Fachin
PERCIVAL PUGGINA

O indicado de Trump para a Suprema Corte, Niel Gorsuch, é juiz da Corte de Apelações, advogado formado em Harvard e PhD em Filosofia pela Universidade de Oxford. Malgrado isso e muito mais em seu currículo impecável, a indicação vem sendo combatida e ele pessoalmente criticado por ser pro life, ou seja, a favor da vida, contra o aborto.

A pós-modernidade tem dessas coisas. Arrancar um feto aos pedaços do útero materno não é crime nem reprovável. Crime é ser contra o condenável ato.

Aqui no Brasil está em curso algo parecido. O jurista Ives Gandra Filho, cujo nome tem sido sugerido para ocupar a vaga de Teori Zavascki, enfrenta a dificuldade semelhante. Acusam-no de ser católico conservador. Em outras palavras: nem mesmo para abrir pequena brecha na unanimidade "progressista" do nosso STF se admite um católico conservador - unzinho - entre os onze.

Ninguém questiona o católico "progressista", militante petista e defensor de invasores de terra, Edson Fachin, mas um conservador como Ives parece intolerável.  

Digo mais, se Gandra Filho fosse pai de santo, neto de pagé, filho de Leonardo Boff, ou muçulmano xiita ou sunita, seus atuais críticos considerariam a nomeação muito adequada, sinal louvável de pluralismo, diversidade e multiculturalismo.Senhor, que mundo louco!

Percival Puggina é membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Julho de 2017
24.07.17 15h57 » O novo parcelamento tributário
24.07.17 15h55 » ISS e o serviço de engraxate
24.07.17 15h52 » Ditadura do Poder Judiciário
24.07.17 15h49 » Probidade administrativa
14.07.17 11h04 » Lei de convalidação dos incentivos
13.07.17 17h01 » Os benefícios das cláusulas escalonadas
08.07.17 09h01 » PEC 82: pela consolidação da autonomia
08.07.17 08h59 » Transexuais: mudança sem cirurgia
06.07.17 08h46 » Uma hora quebra!
06.07.17 08h40 » Direito em alta



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet