Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Em qualquer esfera do Poder Público, o cidadão não pode ficar submisso às regras desprovidas de razoabilidade

Tamanho do texto A- A+
23.01.2018 | 17h53
Desvios na AL
Servidor que acusou advogado é investigado pela Delegacia Fazendária
DA REDAÇÃO
Viatura DEFAZ

Defaz investiga servidor da Assembleia por denunciação caluniosa

O servidor Abemael Costa Melo, da Assembleia Legislativa, réu na ação penal derivada da Operação Célula-Mãe, passará também a ser investigado pela Delegacia Fazendária (Defaz) pelo crime de denunciação caluniosa (acionar a Justiça para prejudicar alguém que se sabe ser inocente).

Na última sexta-feira (19), o juiz Marcos Faleiros, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital, autorizou o compartilhamento das provas da operação – que apura desvios na Assembleia – com o inquérito que investiga a denunciação.

Na operação, Abemal chegou a dizer que, durante seu depoimento, seu advogado teria lhe chutado por baixo da mesa, para que mentisse na oitiva.

Por falta de provas, o advogado teve a ação contra si arquivada no Tribunal de Justiça. Não há informação se a denunciação caluniosa investigada pela Defaz seria relacionada a esse fato em específico.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Maio de 2018
23.05.18 17h43 » Alvo da Bereré
23.05.18 09h41 » Cartas de crédito
23.05.18 08h59 » Limite da LRF
23.05.18 08h10 » "Vazamentos"
21.05.18 17h57 » Disputa polêmica
18.05.18 16h02 » Crédito Podre
17.05.18 17h09 » Convescote
16.05.18 18h03 » Condenado
16.05.18 18h02 » Sócios da EIG
16.05.18 08h58 » Políticos na mira



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet