Artigos
  • THAYSON HENRIQUE MOTA
    Tribunais inferiores continuavam a proferir decisões pela formação de grupo econômico sustentando o poder de comando em face da mera identidade de sócios
  • RODRIGO CARVALHO
    Não cabe a nenhum órgão de controle interno ou externo e ao Judiciário criar limites à função do procurador
  • RENATO NERY
    Quanta gente não se embriagou com milionários cargos públicos supridos pela desenfreada corrupção?
  • VICTOR MAIZMAN
    A Constituição impõe que no tocante ao ICMS, quanto mais essencial for o produto ou serviço, menor deve ser a alíquota

Tamanho do texto A- A+
04.10.2017 | 09h33
MPE cutuca
Roberto Turin diz que pediria suspeição do desembargador Orlando Perri
DA REDAÇÃO

Alair Ribeiro/MidiaNews

Roberto Turin - MPE-MT

O promotor Roberto Turin, que criticou atuação de Orlando Perri

O presidente da Associação Mato-grossense do Ministério Público (AMMP), promotor Roberto Turin, afirmou que se atuasse nos inquéritos relativos aos "grampos", que tramitam no Tribunal de Justiça, já teria pedido a suspeição do relator do caso, o desembargador Orlando Perri.

Apesar de ressaltar que não possui nada contra o desembargador, Turin apontou excessos do magistrado na condução do caso, especialmente pelo fato de Perri ter ignorado o MPE ao deflagrar a Operação Esdras e de fazer constantes críticas a membros da instituição. Tais críticas, na visão do promotor, "não possuem fundamento".

"Ninguém aqui vai recuar, membro do MPE não nasceu para ser vaquinha de presépio, baixar a cabeça à toa nem para A, B ou C. O objetivo é punir os responsáveis, mas também defender o MPE. Caso haja de fato participação de membro do MPE, também deve ser investigado, denunciado e se for o caso condenado. Mas isso tem que ser feito dentro das regras legais. Não se pode execrar ninguém publicamente com base em conversa de bêbado ou de churrasco. Isso nunca foi fundamento para nada".

"Eu quero o Perri nas investigações, como quero qualquer desembargador, desde que ele haja de acordo com as regras e que respeite as atribuições do MPE e o devido processo legal. É questão técnica. Se fosse eu, Roberto Turin, já teria feito [ingressar com suspeição]. Já passou da hora".


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
16.10.17 15h58 » Efeito “subida”
16.10.17 11h54 » Equívoco
16.10.17 11h50 » Contrato suspeito
14.10.17 11h36 » Grampos no STJ
14.10.17 11h33 » Decisão do STJ
14.10.17 09h37 » Cartas Marcadas
13.10.17 18h02 » Acusada de tortura
13.10.17 18h01 » Grampos e patente
11.10.17 11h34 » Grampos S/A
10.10.17 18h07 » “Vingança”



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet