Artigos
  • THAYSON HENRIQUE MOTA
    Tribunais inferiores continuavam a proferir decisões pela formação de grupo econômico sustentando o poder de comando em face da mera identidade de sócios
  • RODRIGO CARVALHO
    Não cabe a nenhum órgão de controle interno ou externo e ao Judiciário criar limites à função do procurador
  • RENATO NERY
    Quanta gente não se embriagou com milionários cargos públicos supridos pela desenfreada corrupção?
  • VICTOR MAIZMAN
    A Constituição impõe que no tocante ao ICMS, quanto mais essencial for o produto ou serviço, menor deve ser a alíquota

Tamanho do texto A- A+
13.09.2017 | 16h55
Vísceras de 2014
Sem delação premiada, empresário Alan Malouf pode radicalizar
DA REDAÇÃO
Alan Malouf

O empresário Alan Malouf, que tenta delação premiada no MPF

Incomodado com a dificuldade de conseguir formalizar uma delação premiada com o MPF (Ministério Público Federal), o empresário Alan Malouf continua reclamado nos bastidores.

Segundo fonte da coluna no Judiciário, interlocutores disseram que, caso não consiga a delação, e seus benefícios, o empresário poderia até mesmo radicalizar.

"Gente próxima a ele disse que Alan não descarta convocar a imprensa e expor as vísceras da campanha eleitoral de 2014", disse a fonte.

Alan, que atuou na articulação financeira do então candidato Pedro Taques (PSDB), é réu penal na Operação Rêmora, que desmantelou um esquema de propina na Seduc, em 2015.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
16.10.17 15h58 » Efeito “subida”
16.10.17 11h54 » Equívoco
16.10.17 11h50 » Contrato suspeito
14.10.17 11h36 » Grampos no STJ
14.10.17 11h33 » Decisão do STJ
14.10.17 09h37 » Cartas Marcadas
13.10.17 18h02 » Acusada de tortura
13.10.17 18h01 » Grampos e patente
11.10.17 11h34 » Grampos S/A
10.10.17 18h07 » “Vingança”



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet