Artigos
  • NALIAN CINTRA
    A mediação é uma ferramenta de extrema relevância para a estabilidade no mundo empresarial
  • HÉLCIO CORRÊA
    Tanta tirania e distorção como falsa defesa da ordem jurídica. Aqui toda autocracia judicial tem custo alto e perigoso à democracia
  • VICTOR MAIZMAN
    É preciso que o empreendedor tenha conhecimento dos seus direitos assegurados não apenas na legislação, como na própria Constituição Federal

Tamanho do texto A- A+
17.04.2017 | 16h42
Sem perseguição
Juíza diz que não nutre raiva por ex-vereador
DA REDAÇÃO

A juíza Selma Arruda negou mais um pedido da defesa do ex-vereador João Emanuel para afastá-la do processo oriundo da operação Castelo de Areia, que apura crimes de estelionato.

Na decisão, publicada nesta segunda-feira (17), a magistrada pontuou jamais ter afirmado se sentir ameaçada ou com medo do suposto atentado que João Emanuel teria encomendado contra sua vida.

O suposto atentado foi citado pelo empresário Walter Magalhães, também réu do processo, que disse que o ex-vereador teria pedido para o Comando Vermelho matar a juíza.

Selma pontuou que só seria suspeita para julgar o caso se ela própria fosse vítima no processo, “o que não é o caso dos autos”.

“Ademais, esta magistrada não nutre nenhum sentimento de temor, raiva, perseguição, ou mesmo qualquer discriminação ou preferência pelo Excipiente”, garantiu.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
20.10.17 17h37 » Programa de Silval
20.10.17 16h36 » Efeito Gérson
20.10.17 16h34 » "Escravidão"
20.10.17 16h33 » Segurança
19.10.17 09h25 » Grampos e fôlego
17.10.17 17h29 » Efeito STJ
17.10.17 16h30 » Clima de otimismo
17.10.17 16h19 » Escutas no STJ
16.10.17 15h58 » Efeito “subida”
16.10.17 11h54 » Equívoco



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet