Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato

Tamanho do texto A- A+
12.04.2017 | 09h22
Sistema da Odebrecht
Delatores: Maggi tinha a alcunha de "Caldo"
DA REDAÇÃO

Os delatores João Antônio Pacífico Ferreira e Pedro Augusto Carneiro Leão Neto acusaram o ex-governador e atual ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) de receber R$ 12 milhões do departamento de propina da Odebrecht, em sua campanha de reeleição, em 2006.

Ao Ministério Púbico Federal, eles disseram que Maggi era conhecido como “Caldo”, provavelmente uma referência ao conhecido caldo de galinha Maggi, que não tem relação com a família do ministro.

Segundo os delatores, o Grupo Odebrecht detinha créditos em Mato Grosso, decorrentes de obras públicas realizadas anteriormente – embora reconhecidos administrativamente ou judicialmente, não eram honrados em razão da incapacidade financeira do Estado.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
15.12.17 08h51 » Inferno de Savi
14.12.17 08h49 » Disputa no TCE-MT
13.12.17 21h00 » Lucro abusivo
12.12.17 08h45 » Afastado do TCE
11.12.17 15h52 » Grampolândia
11.12.17 12h00 » Monitorado
07.12.17 17h00 » Supremo bate-boca
07.12.17 10h43 » Grampos S/A
07.12.17 09h00 » Justiça
06.12.17 08h35 » “Gravidade”



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet