Artigos
  • THAYSON HENRIQUE MOTA
    Tribunais inferiores continuavam a proferir decisões pela formação de grupo econômico sustentando o poder de comando em face da mera identidade de sócios
  • RODRIGO CARVALHO
    Não cabe a nenhum órgão de controle interno ou externo e ao Judiciário criar limites à função do procurador
  • RENATO NERY
    Quanta gente não se embriagou com milionários cargos públicos supridos pela desenfreada corrupção?
  • VICTOR MAIZMAN
    A Constituição impõe que no tocante ao ICMS, quanto mais essencial for o produto ou serviço, menor deve ser a alíquota

Tamanho do texto A- A+
12.04.2017 | 09h22
Sistema da Odebrecht
Delatores: Maggi tinha a alcunha de "Caldo"
DA REDAÇÃO

Os delatores João Antônio Pacífico Ferreira e Pedro Augusto Carneiro Leão Neto acusaram o ex-governador e atual ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) de receber R$ 12 milhões do departamento de propina da Odebrecht, em sua campanha de reeleição, em 2006.

Ao Ministério Púbico Federal, eles disseram que Maggi era conhecido como “Caldo”, provavelmente uma referência ao conhecido caldo de galinha Maggi, que não tem relação com a família do ministro.

Segundo os delatores, o Grupo Odebrecht detinha créditos em Mato Grosso, decorrentes de obras públicas realizadas anteriormente – embora reconhecidos administrativamente ou judicialmente, não eram honrados em razão da incapacidade financeira do Estado.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
17.10.17 17h29 » Efeito STJ
17.10.17 16h30 » Clima de otimismo
17.10.17 16h19 » Escutas no STJ
16.10.17 15h58 » Efeito “subida”
16.10.17 11h54 » Equívoco
16.10.17 11h50 » Contrato suspeito
14.10.17 11h36 » Grampos no STJ
14.10.17 11h33 » Decisão do STJ
14.10.17 09h37 » Cartas Marcadas
13.10.17 18h02 » Acusada de tortura



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet