Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Quem exige tributo deve apontar o seu exato valor, com critérios objetivos
  • GISELE NASCIMENTO
    É assustador o tanto de mulheres que têm sido assassinadas em Mato Grosso nos últimos tempos
  • LUIZ FLÁVIO GOMES
    Não agir com igualdade perante todos significa um torpedo contra a própria noção de justiça
STF / ESCOLTA DE FACHIN

Tamanho do texto A- A+
28.03.2018 | 10h32
Cármen Lúcia diz que já havia autorizado aumento do número de seguranças
Presidente do STF também autorizou uso de seguranças para familiares do ministro
Rosinei Coutinho/SCO/STF
A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF
DO G1

Em nota divulgada nesta terça-feira (27) pela assessoria do Supremo Tribunal Federal (STF), a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, afirmou que autorizou o aumento do número de seguranças para escolta permanente do ministro Edson Fachin.

Mais cedo, em entrevista ao jornalista Roberto D'Avila, Fachin disse que a família dele tem recebido ameaças. O ministro não especificou de quem ou de onde vêm as ameaças, nem as relacionou a nenhum fato concreto.

Na nota, Cármen Lúcia afirma que já havia adotado providências mesmo antes de a entrevista ter sido divulgada.

Além do aumento na escolta permanente de Fachin, a presidente do STF afirmou que também autorizou que os seguranças do ministro em Curitiba pudessem ser deslocados para acompanhar familiares por ele indicados.

Outra providência, segundo a ministra, também foram deslocadas para Curitiba duas delegadas da Polícia Federal "especializadas em segurança para todos os casos de magistrados ameaçados no país".

Nota

Leia a nota divulgada pela presidente do Supremo Tribunal Federal:

Em relação às demandas do ministro Fachin relativas ao aumento de sua segurança pessoal e de sua família, antes de vir a público a notícia divulgada hoje, a Presidência do STF já tinha adotado as seguintes providências:

1) deslocou para Curitiba duas delegadas da Polícia Federal, especializadas em segurança para todos os casos de magistrados ameaçados no País, para verificação de quais as melhores e mais eficazes providências deveriam ser tomadas, o que foi realizado;

2) autorizou o aumento do número de agentes para escolta permanente do ministro Fachin por servidor do setor de segurança do Supremo, além dos que já o acompanhavam em seus deslocamentos;

3) autorizou que o uso de segurança do ministro, em Curitiba, possa deslocar-se também para acompanhamento de familiares por ele indicados;

4) determinou à Diretoria Geral do STF examinar e dotar providências para aumento de número de seguranças para a família do ministro Fachin em Curitiba, conforme por ele solicitado;

5) encaminhou ofício indagando a todos os ministros do STF sobre a necessidade de alteração e aumento do número de agentes de segurança para, se for o caso, a tomada das providências cabíveis.

OAB

Também em nota, o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, afirmou que a fala de Fachin é algo "extremamente grave" e que deve ser tratada com a máxima seriedade.

Para ele, esse tipo de ameaça "não pretende atingir apenas o Supremo Tribunal Federal, mas todo o sistema de Justiça e o Estado Democrático de Direito em si".

"A apuração do caso deve ser prioritária e os responsáveis devem ser punidos de forma exemplar, de acordo com o rigor da lei. A Ordem dos Advogados do Brasil acompanhará o caso com atenção. Recentemente, tivemos o assassinato da vereadora Marielle Franco, do Rio de Janeiro, e até agora esse fato não foi esclarecido. Cobramos respostas. Os avanços que o Brasil teve no combate ao crime devem ser preservados", disse Lamachia.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2018
19.04.18 11h26 » Imprensa divulga leitura equivocada das decisões do STF, diz Toffoli
19.04.18 10h22 » STF mantém decisão que obriga MT a construir mais 4 presídios
17.04.18 16h47 » Cuiabá tem 18 presas com filhos menores aguardando domiciliar
17.04.18 15h35 » Aécio Neves vira réu no Supremo por corrupção e obstrução de Justiça
16.04.18 17h46 » STF arquiva inquérito que investigava suposta fraude de deputado
16.04.18 16h14 » Barroso afirma não ver risco de novo golpe militar no Brasil
16.04.18 10h37 » “Minha vida virou um inferno", diz conselheiro afastado do TCE
14.04.18 11h26 » Tribunal que não respeita sua jurisprudência perde legitimidade, diz Fux
14.04.18 11h24 » Defesa de Lula afirma ao STF que ordem de prisão foi prematura
13.04.18 10h35 » Cármen Lúcia assume Presidência da República



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet