Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Quem exige tributo deve apontar o seu exato valor, com critérios objetivos
  • GISELE NASCIMENTO
    É assustador o tanto de mulheres que têm sido assassinadas em Mato Grosso nos últimos tempos
  • LUIZ FLÁVIO GOMES
    Não agir com igualdade perante todos significa um torpedo contra a própria noção de justiça
STF / HC PREVENTIVO

Tamanho do texto A- A+
22.03.2018 | 11h06
STF julga hoje pedido da defesa para evitar prisão de Lula
Defesa quer que ex-presidente só seja preso quando processo transitar em julgado
Reuters
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
ROSANNE D´AGOSTINO
DO G1

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgará nesta quinta-feira (22) um habeas corpus preventivo apresentado pela defesa de Luiz Inácio Lula da Silva com o objetivo de evitar que o ex-presidente seja preso.

O pedido foi pautado para a sessão desta quinta pela presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia.

A sessão tem início marcado para as 14h, mas o primeiro item da pauta deve ser a conclusão do julgamento sobre a proibição de doações ocultas para campanhas eleitorais. Depois disso, é que o pedido de Lula será analisado.

Em janeiro, o ex-presidente foi condenado a 12 anos e 1 mês em regime inicialmente fechado pelo Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4) , responsável por analisar os processos da Lava Jato em segunda instância.

Ao julgar Lula, os desembargadores decidiram que a pena deverá ser cumprida quando não couber mais recurso ao TRF-4. O único recurso possível já foi apresentado e será julgado na próxima segunda (26).

A defesa do ex-presidente, porém, recorreu ao STF pedindo que Lula só seja preso quando o processo transitar em julgado, ou seja, quando não couber recurso a mais nenhuma instância da Justiça.

Os advogados de Lula argumentam que, segundo a Constituição, "ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória".

Em 2016, a maioria dos ministros do STF entendeu que a pena pode começar a ser cumprida após condenação na segunda instância da Justiça. Ações na Corte, contudo, visam mudar esse entendimento.

Lula foi condenado no caso do triplex em Guarujá (SP). No entendimento do TRF-4, a OAS deu um apartamento ao ex-presidente em retribuição a contratos firmados pela construtora com a Petrobras. Lula se diz inocente, e a defesa alega que não há provas contra ele.

Próximos passos

Se a maioria dos 11 ministros do STF decidir conceder o habeas corpus a Lula, o ex-presidente se livra da prisão.

Se a maioria decidir não atender ao pedido, Lula poderá ser preso se o TRF-4 negar o recurso na próxima segunda-feira.

A decisão do Supremo a ser tomada nesta quinta dirá respeito somente ao caso de Lula. Mas, segundo alguns ministros, pode indicar um placar da Corte em uma futura análise das duas ações genéricas, que ainda discutem a questão da execução da pena após segunda instância.

As ações declaratórias de constitucionalidade (ADC) foram apresentadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e pelo Partido Ecológico Nacional (PEN).

Depois disso, vários ministros concederam decisões diferentes, permitindo que condenados fiquem em liberdade, por exemplo. Advogados têm defendido o julgamento definitivo do caso para dar um ponto final à discussão.

A ministra Cármen Lúcia tem reiterado, no entanto, que não pretende pautar as ADCs novamente. Nesta quarta, por exemplo, ela negou um pedido de advogados interessados em colocar as ações em pauta de imediato.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2018
19.04.18 11h26 » Imprensa divulga leitura equivocada das decisões do STF, diz Toffoli
19.04.18 10h22 » STF mantém decisão que obriga MT a construir mais 4 presídios
17.04.18 16h47 » Cuiabá tem 18 presas com filhos menores aguardando domiciliar
17.04.18 15h35 » Aécio Neves vira réu no Supremo por corrupção e obstrução de Justiça
16.04.18 17h46 » STF arquiva inquérito que investigava suposta fraude de deputado
16.04.18 16h14 » Barroso afirma não ver risco de novo golpe militar no Brasil
16.04.18 10h37 » “Minha vida virou um inferno", diz conselheiro afastado do TCE
14.04.18 11h26 » Tribunal que não respeita sua jurisprudência perde legitimidade, diz Fux
14.04.18 11h24 » Defesa de Lula afirma ao STF que ordem de prisão foi prematura
13.04.18 10h35 » Cármen Lúcia assume Presidência da República



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet