Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    De todo modo, é certo afirmar que não há hierarquia entre as aludidas secretarias
  • RODRIGO MUDROVITSCH
    A reforma regulatória parece visar corrigir insuficiências do modelo atual
STF / VEJA O VÍDEO

Tamanho do texto A- A+
21.03.2018 | 17h58
Barroso diz que Mendes desmoraliza STF e sessão é suspensa
Discussão ocorreu durante a votação de uma ação movida pela OAB contra doações ocultas
Reprodução
Os ministros do Supremo Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes
DA FOLHA ONLINE

Os ministros Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes protagonizaram nesta quarta (21) seu mais duro bate-boca no plenário do STF (Supremo Tribunal Federal). Barroso disse que o colega é uma mistura do mal com o atraso e desmoraliza a corte. Também sugeriu que Gilmar age por interesses estranhos à Justiça.

A sessão precisou ser suspensa pela presidente do Supremo, Cármen Lúcia, que interrompeu Barroso, enquanto Gilmar insistia que era sua vez de falar. Gilmar rebateu, dizendo que Barroso deveria fechar seu escritório de advocacia.

“O senhor é a mistura do mal com o atraso e pitadas de psicopatia”, disse Barroso a Gilmar. “A vida para Vossa Excelência é ofender as pessoas. Qual a sua ideia? Qual sua proposta? Vossa Excelência é uma vergonha, é uma desonra para o tribunal. Vossa Excelência sozinho desmoraliza o tribunal. Está sempre atrás de algum interesse que não o da Justiça.”

A discussão ocorreu durante a votação de uma ação movida pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) contra doações ocultas em campanhas eleitorais. Gilmar voltou a criticar a proibição de empresas doarem para políticos —assunto que com frequência costuma abordar em plenário.

O ministro havia criticado antes a elaboração da pauta de julgamentos pela presidente Cármen Lúcia e a retirada da pauta desta quinta (22) das ações que tratam de auxílio-moradia para juízes, sob relatoria de Luiz Fux.

Em determinado ponto de sua fala, Gilmar criticou Barroso por ter aprovado na Primeira Turma (composta por cinco ministros), e não no plenário (formado pelos 11), sua tese de que aborto até o terceiro mês de gravidez não é crime. A ação era de relatoria de Barroso e foi votada na turma em novembro de 2016.

“Ah, agora eu vou dar uma de esperto e vou conseguir a decisão do aborto, de preferência na turma com dois ministros, com três”, provocou Gilmar.

Foi então que Barroso interrompeu Gilmar e disse que ele não tem ideias ou propostas, apenas ataca os colegas.

“Me deixa de fora desse seu mau sentimento. Você é uma pessoa horrível. Isso não tem nada a ver com o que está sendo julgado. É um absurdo Vossa Excelência aqui fazer um comício cheio de ofensas, grosserias. Já ofendeu a presidente, já ofendeu o ministro Fux, agora chegou a mim”, interrompeu.

“Eu continuo com a palavra, presidente. Eu vou recomendar ao ministro Barroso que feche seu escritório de advocacia”, disse Gilmar. A sessão foi suspensa em seguida.

Veja a discussão entre os dois ministros:


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Janeiro de 2019
18.01.19 17h02 » Ministro diz que remete 'ao lixo' reclamações como as de Flávio Bolsonaro
17.01.19 17h20 » Fux para investigação sobre o ex-assessor de Flávio Bolsonaro
17.01.19 17h10 » PCdoB vai ao Supremo contra decreto sobre posse de armas
17.01.19 17h05 » Ministros do STF se surpreendem com pedido de Flávio Bolsonaro
12.01.19 10h18 » Defesa de João de Deus pede ao STF desistência de habeas corpus
11.01.19 17h45 » STF proíbe prefeituras de pagar advogados com verba de Fundeb
09.01.19 16h02 » Toffoli nega pedido para votação aberta da Mesa Diretora
08.01.19 16h52 » Dias Toffoli analisa recurso contra votação aberta no Senado
04.01.19 17h41 » Ministros avaliam ser difícil STF reverter em abril decisão
Dezembro de 2018
31.12.18 11h25 » Fux valida execução provisória da pena de condenado por matar policial em blitz



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet