Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    De todo modo, é certo afirmar que não há hierarquia entre as aludidas secretarias
  • RODRIGO MUDROVITSCH
    A reforma regulatória parece visar corrigir insuficiências do modelo atual
STF / APÓS VAZAMENTO

Tamanho do texto A- A+
07.03.2018 | 14h36
"As palavras perderam o sentido no Brasil", diz Luís Barroso
Defesa do presidente Michel Temer diz que acessou dados disponíveis no STF
Reprodução/STF
O ministro Luís Roberto Barroso, do STF
RENAN RAMALHO
DO G1

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), reiterou nesta quarta-feira (7) que era sigilosa a ordem que emitiu em fevereiro para quebrar o sigilo bancário do presidente Michel Temer.

Em rápida manifestação à imprensa na entrada da Corte, antes da sessão, o ministro disse: "[A quebra do sigilo bancário de Temer] É um procedimento sigiloso. As palavras perderam o sentido no Brasil".

Nesta terça, Barroso mandou investigar o vazamento da decisão que proferiu para acessar as transações financeiras de Temer, dentro de inquérito que apura suposta prática de corrupção na edição de um decreto no setor portuário no ano passado.

Relator do caso no STF, o ministro observou que, ao pedir acesso à decisão, a defesa de Temer utilizou números do processo que registram procedimentos “absolutamente sigilosos”.

Por isso, Barroso determinou à Polícia Federal a investigação do “novo vazamento” dentro do mesmo inquérito.

A defesa de Michel Temer negou o vazamento e explicou que os números citados nas petições, pedindo acesso ao procedimento de quebra de sigilo bancário do presidente, foram obtidos no "Diário de Justiça Eletrônico", que está disponível no site Supremo Tribunal Federal.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Janeiro de 2019
18.01.19 17h02 » Ministro diz que remete 'ao lixo' reclamações como as de Flávio Bolsonaro
17.01.19 17h20 » Fux para investigação sobre o ex-assessor de Flávio Bolsonaro
17.01.19 17h10 » PCdoB vai ao Supremo contra decreto sobre posse de armas
17.01.19 17h05 » Ministros do STF se surpreendem com pedido de Flávio Bolsonaro
12.01.19 10h18 » Defesa de João de Deus pede ao STF desistência de habeas corpus
11.01.19 17h45 » STF proíbe prefeituras de pagar advogados com verba de Fundeb
09.01.19 16h02 » Toffoli nega pedido para votação aberta da Mesa Diretora
08.01.19 16h52 » Dias Toffoli analisa recurso contra votação aberta no Senado
04.01.19 17h41 » Ministros avaliam ser difícil STF reverter em abril decisão
Dezembro de 2018
31.12.18 11h25 » Fux valida execução provisória da pena de condenado por matar policial em blitz



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet