Artigos
  • JUNIOR MACAGNAM
    Em mais de 30 anos de democracia, de que valeu o foro especial? Apenas para a corrupção
  • VICTOR MAIZMAN
    Pela iniciativa popular, podem ser criadas não somente leis, como também, revogá-las
  • CARLOS RAFAEL DE CARVALHO
    Medida deve ser avaliada com ressalvas porque pode beneficiar mais aos bancos do que aos consumidores
STF / DECRETO SOBRE PORTOS

Tamanho do texto A- A+
19.01.2018 | 17h04
Presidente pede ao STF para arquivar inquérito sobre suspeita de propina
O documento foi encaminhado ao ministro Luis Roberto Barroso, relator do caso no STF
Nelson Jr./SCO/STF
Supremo Tribunal Federal
DO BLOG DA ANDRÉIA SADI

A defesa do presidente Michel Temer pediu nesta sexta-feira (19) ao Supremo Tribunal Federal para arquivar o inquérito que investiga se ele recebeu propina na edição de um decreto do setor de portos.

Procurado pelo blog, o advogado Brian Prado, que representa Antonio Claudio Mariz – advogado de Temer –, confirmou que o pedido foi protocolado.

O documento foi encaminhado ao ministro Luis Roberto Barroso, relator do caso no STF.

Na peça, a defesa do presidente argumenta que as alegações expostas nos autos sobre Temer estão "contaminadas por inverdades e distorções da realidade em detrimento de seu governo, de sua honra pessoal e da estabilidade das instituições".

Foi neste inquérito que Temer enviou, nesta quinta (18), as respostas às 50 perguntas da Polícia Federal sobre o decreto.

Entre outros pontos, a PF indagou a Temer, por exemplo, se havia pedido ou autorizado o ex-assessor Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) a receber dinheiro em nome dele.

O presidente, então, disse que "nunca" pediu a Loures que recebesse recursos da campanha ou "de qualquer outra origem".

Caso Rodrimar

A suspeita do Ministério Público Federal é de que executivos da Rodrimar pagaram propina para que a empresa, que atua no setor de portos, fosse beneficiada com a edição do decreto. Temer e a companhia negam.

À PF, o presidente afirmou: "As empresas do Grupo Rodrimar não foram beneficiadas".

Em outro trecho, Temer acrescentou: "Não fui procurado por empresários do setor portuário sobre a edição de normativo que buscasse ampliar os prazos das concessões de terminais portuários."


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Maio de 2018
18.05.18 10h51 » Nadaf diz que associação teria pago R$ 2 mi de propina a Riva
18.05.18 10h37 » STF “desce” para MT ação que acusa Bezerra de fraudar certame
16.05.18 09h05 » STF manda Governo pagar duodécimos atrasados da Defensoria
15.05.18 10h17 » Fux poderá “descer” inquérito contra Blairo para 1ª Instância
08.05.18 17h38 » Moraes tira inquérito sobre Aécio do STF e envia à 1ª instância
08.05.18 17h33 » STF torna Geddel e Lúcio Vieira Lima réus no caso dos R$ 51 milhões
08.05.18 13h57 » Ministro "desce" ação contra senador de MT para a 1ª instância
07.05.18 17h57 » Barroso prorroga por mais 60 dias inquérito que investiga Temer
05.05.18 09h40 » STF deve julgar na quarta pedido que pode ampliar foro privilegiado
05.05.18 09h34 » Cármen Lúcia quer solução para auxílio-moradia de juízes até junho



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet