Artigos
  • VILSON NERY
    Li as propostas dos três candidatos, e separei as palavras “agricultura” e agronegócio” em seu contexto no plano de governo, para dar qualidade à minha pretensão
  • JOÃO PAULO OLIVEIRA
    No processo eleitoral atual há uma enorme preocupação com relação a informações falsas que são passadas no que tange a uma série de situações e candidatos
STF / R$ 4,8 MILHÕES

Tamanho do texto A- A+
11.12.2017 | 08h45
Nadaf: crédito fiscal à Concremax quitou dívida de Chico Daltro
Em delação, ex-secretário detalha esquema para pagar divida de ex-vice-governador com factoring
MidiaNews
O ex-governador Chico Daltro: citado em delação de Pedro Nadaf
LUCAS RODRIGUES
DA REDAÇÃO

O ex-secretário de Indústria, Comércio, Minas, Energia e Casa Civil, Pedro Nadaf, afirmou que parte de créditos fiscais indevidos na ordem de R$ 7,5 milhões, concedidos à construtora Concremax, “retornaram” como propina ao ex-vice-governador Chico Daltro (PSD) para pagamento de dívidas de campanha.

A informação está contida na delação premiada firmada por Nadaf com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O alegado esquema também foi citado pelo ex-governador Silval Barbosa em sua delação, igualmente homologada por Fux.

Nadaf afirmou que, em 2012, Chico Daltro procurou Silval Barbosa pedindo ajuda para pagar uma dívida contraída durante a campanha de 2010.

Na ocasião, conforme o ex-secretário, o ex-vice-governador disse que devia várias pessoas, entre elas o empresário Ricardo Padilha de Bourbon Neves, do ramo de factoring, na ordem de R$ 4,5 milhões.

“Silval Barbosa se comprometeu a auxiliar o vice-governador e a buscar ajuda junto a empresários, visando assim a pagar as dívidas de Chico Daltro. Silval Barbosa então determinou que eu cuidasse desse assunto junto ao secretário [de Fazenda] Marcel de Cursi, a fim de que arrumassem um jeito de resolverem esse problema”.

Nadaf contou que Chico Daltro se prontificou a procurar um empresário que o ajudasse a quitar o débito.

Todos tinham total ciência de que referida concessão era tão somente destinada ao recebimento de propina pela empresa Concremax

“Passados alguns dias, Chico Daltro me comunicou ter mantido contato com o proprietário da empresa Concremax, de nome Jorge Pires [de Miranda], o qual havia se disposto a auxiliá-lo a receber os créditos do governo para repassar o montante que o ex-vice-governador necessitava para saldar os seus débitos”.

Pedro Nadaf então sugeriu que fossem concedidos créditos tributários pelo Governo para a Concremax, mediante recebimento de "retorno" em propina, sendo que tais créditos poderiam posteriormente ser repassados para a empresa Votorantim em troca de cimento.

“Eu mantive contato com a diretoria do Grupo Votorantin através do diretor da área institucional Luiz Alberto, e indaguei-lhe se poderiam receber créditos fiscais outorgados a uma outra empresa, sendo que posteriormente retiraria tais créditos em produtos do Grupo Votorantin e assim o grupo utilizaria tais créditos para abater na sua dívida de ICMS para o Estado”.

R$ 7,5 milhões

Com o fechamento do acordo, Nadaf disse que providenciou o termo de crédito de ICMS em benefício da Concremax, no valor de R$ 7,5 milhões, para usufruto no prazo de dois anos.

“O termo foi assinado pelo empresário proprietário da Concremax, por mim, pelo ex-governador Silval Barbosa e por Marcel de Cursi, sendo que todos tinham total ciência de que referida concessão era tão somente destinada ao recebimento de propina pela empresa Concremax, a fim de saldar dívidas do então vice-governador Chico Daltro”.

Segundo Nadaf, a divisão dos R$ 7,5 milhões ocorreu da seguinte forma:  20% ao Grupo Votorantin (R$ 1,5 milhão); 20% à empresa Concremax (R$ 1,2 milhão); e R$ 4,8 milhões para  Chico Daltro.

A investigação sobre o caso foi remetida pelo ministro Luiz Fux à Vara Contra o Crime Organizado da Capital.

Outro lado

Em ocasião anterior, o ex-vice-governador negou ter integrado o esquema para quitar a dívida.

“Eu não tinha e não tenho essa dívida. Dívida que eu tenho é pessoal e ainda está em fase de pagamento. Não tem nada a ver com governo nem com o valor citado”.

Veja fac-símile de trecho da delação:

print nadaf diz que incentivo fiscal pagou dívida de chico daltro

 

 

Leia mais sobre o assunto:

Silval: construtora deu apartamento para quitar dívida de ex-vice


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2018
19.09.18 17h43 » Dias Toffoli diz que STF terá atuação 'mais discreta possível'
19.09.18 09h33 » Supremo absolve Renan Calheiros da acusação de peculato
18.09.18 17h18 » Ministro do STF Luís Roberto Barroso prorroga inquérito dos portos
17.09.18 17h22 » "Presidenciável 'sempre foi eleito' pelas urnas eletrônicas", rebate ministro
17.09.18 11h25 » Sachetti é acusado de alienar área pública; STF remete ação ao TJ
17.09.18 11h20 » Toffoli diz que 'dificilmente' prisão de Lula será derrubada por recurso
14.09.18 17h25 » Lewandowski paralisa julgamento em que Lula perdia por 7 a 1
14.09.18 16h26 » 'Não somos mais nem menos que os outros poderes', diz Dias Toffoli
14.09.18 15h55 » Perícia diz que Maggi não apagou mensagens de celular
13.09.18 09h53 » Gilmar Mendes vê 'notório abuso de poder' e pede 'freios'



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet