Artigos
  • GILMAR MENDES
    Esse procedimento acaba sendo o meio para coibir interpretações equivocadas e mesmo abusos na prisão
  • ELVIS KLAUK JR
    Antes de fechar negócio é muito importante verificar se o imóvel está com os respectivos documentos em ordem
  • PAULO LEMOS
    Na política, há um quadro crônico e agudo de delírios, alucinações, desejos, impulsos e compulsões
STF / DELATOR GRAVADO

Tamanho do texto A- A+
22.09.2017 | 14h51
Defesa nega omissão de Sílvio e acusa Zanatta de "obstrução"
"Não há nada no áudio que não seja de conhecimento da PGR”, disse advogado Délio Lins
Alair Ribeiro/MidiaNews
O advogado Délio Lins, responsável pela defesa de Silvio Cezar de Araújo
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O advogado Délio Lins, responsável pela defesa do ex-chefe de gabinete Silvio Corrêa de Araújo, afirmou que há distorção no áudio vazado na noite da última quinta-feira (21), em que Silvio revelaria supostas omissões em sua delação premiada já homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O áudio é referente a uma conversa mantida entre Silvio e o ex-secretário de Indústria e Comércio do Estado, Alan Zanatta. A gravação foi feita pelo próprio Zanatta, em 28 de agosto.

Conforme reportagem da Folha de S.Paulo, Corrêa diz que o montante de R$ 500 mil que ele devolverá ao erário seria pago por Silval Barbosa (PMDB), diferentemente do que consta no acordo de delação, além de ter assumido ser dono de um garimpo, que ocultou da PGR.

Silvio Cezar não omitiu qualquer patrimônio. Todo seu patrimônio foi devidamente comunicado à PGR. O garimpo referido no áudio não é de sua propriedade, tal como ventilado de forma distorcida pela imprensa

Todas as informações, contudo, são contestadas pela defesa, que alega que, na gravação, não há qualquer informação que não seja de conhecimento da Procuradoria-Geral da República (PGR).

“Acerca do áudio divulgado de maneira distorcida pela imprensa, a defesa de Silvio Cezar vem esclarecer que não há nada no áudio que não seja de conhecimento da PGR”, diz o advogado, em trecho de nota encaminhada à imprensa.

“Silvio Cezar não omitiu qualquer patrimônio. Todo seu patrimônio foi devidamente comunicado à PGR. O garimpo referido no áudio não é de sua propriedade, tal como ventilado de forma distorcida pela imprensa,  mas sim da família de Silval”, aifmrou Délio.

“Obstrução”

Ainda conforme a defesa, a gravação feita por Alan Zanatta revelaria uma possível tentativa de obstrução à Justiça.

Délio Lins também citou que haveria, nessa tentativa de obstrução, uma possível participação do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), que foi flagrado – à época em que era deputado estadual – recebendo maços de dinheiro no Palácio Paiaguás.

“As gravações entregues na PGR acerca do pagamento de propinas a parlamentares e ao atual prefeito Emanuel Pinheiro são autênticas e foram entregues na sua originalidade, não havendo qualquer tipo de edição”, disse o advogado.

“A única novidade que se tem no áudio é uma aparente tentativa de obstrução de justiça por parte de Alan Zanatta, com possível participação de Emanuel Pinheiro para tentar justificar a todo custo o injustificável, que são as flagrantes imagens de recebimento de propina por parte do atual prefeito e outros deputados”, afirmou Délio.

Por fim, o advogado disse que Silvio continua à disposição da Justiça na condição de colaborador.

Leia nota na íntegra:

"Acerca do áudio divulgado de maneira distorcida pela imprensa, a defesa de Silvio Cezar vem esclarecer que: 

1) Não há nada no áudio que não seja de conhecimento da PGR;        

2 ) Silvio Cezar não omitiu qualquer patrimônio. Todo seu patrimônio foi devidamente comunicado à PGR. O garimpo referido no áudio não é de sua propriedade, tal como ventilado de forma distorcida pela imprensa,  mas sim da família de Silval;                                   

3) As gravações entregues na PGR acerca do pagamento de propinas a parlamentares e ao atual prefeito Emanuel Pinheiro são autênticas e foram entregues na sua originalidade, não havendo qualquer tipo de edição.     

4) No áudio, em nenhum momento o colaborador SIlvio afirma que elas estão fora de contexto, pois quem menciona isso é o próprio Alan Zanatta, na frustrada tentativa de a qualquer custo produzir prova supostamente no interesse da defesa de Emanuel Pinheiro.                                

5) As gravações entregues pelo colaborador Silvio são claras, e podem ser submetidas a todas as espécies de perícia. Ao contrário do mencionado por alguns sites , trata-se de nítido caso de pagamento de propina ao então deputado Emanuel Pinheiro (atual prefeito) e aos demais deputados que compareciam para receber propina em uma verdadeira fila indiana.                          

6) A única novidade que se tem no áudio é uma aparente tentativa de obstrução de justiça por parte de Alan Zanatta, com possível participação de Emanuel Pinheiro para tentar justificar a todo custo o injustificável, que são as flagrantes imagens de recebimento de propina por parte do atual prefeito e outros deputados.        

7) Ao final, o áudio revela também que Alan Zanatta afirma que nada acontecerá com Emanuel Pinheiro, pois ele já teria a "maioria na câmara", o que pode revelar outros possíveis crimes por parte do atual prefeito.                       

8) Silvio Cezar continua à disposição da justiça na condição de colaborador e assim procederá cumprindo todas as cláusulas do acordo."                          

Delio Lins e Silva Júnior e Victor Azevedo Borges

Leia mais sobre o assunto:

Nova gravação em áudio ameaça delações de ex-assessor e Silval


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Janeiro de 2018
19.01.18 17h04 » Presidente pede ao STF para arquivar inquérito sobre suspeita de propina
16.01.18 10h49 » Supremo julgará se juiz poderia ter proibido privatização
15.01.18 15h01 » Cármen Lúcia se reúne com presidente do TRF-4 para discutir segurança
13.01.18 09h08 » CNMP pode afastar lei que cria restrições a pena para promotor, diz Fachin
10.01.18 08h09 » Citada como operadora financeira, empresária negocia delação
08.01.18 17h21 » STF suspende inscrição de MT em cadastros de inadimplentes
05.01.18 17h28 » Gilmar Mendes anula reabertura de PAD contra desembargadora do TRF-1
05.01.18 17h17 » Defensores vão ao STF contra Governo e cobram duodécimo
05.01.18 17h03 » Cármen Lúcia nega pedido e mantém Sérgio Ricardo fora do TCE
02.01.18 14h53 » Cármen Lúcia mantém professores atuando em presídios



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet