Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
STF / A MANDO DE MAGGI

Tamanho do texto A- A+
14.09.2017 | 16h35
Alvo de busca da PF, Cidinho teria tentado "acalmar" Silval
Residência do senador foi alvo de cumprimento de mandados de busca e apreensão nesta quinta
Alair Ribeiro/MidiaNews
O senador Cidinho Santos, que teria aconselhado Silval a não delatar esquemas
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

A mando do ministro da Agricultura Blairo Maggi, o senador Cidinho Santos (PR) teria “aconselhado” o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) a desistir de delatar esquemas de corrupção em Mato Grosso.

A informação consta na decisão em que o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na residência do senador.

Conforme Fux, a tentativa de demover Silval da ideia de delação teria ocorrido durante uma visita que Cidinho fez ao ex-governador no Centro de Custódia da Capital, no período em que o peemedebista esteve preso.

O argumento utilizado para tentar convencer Silval seria o de que o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, mesmo assumindo participação em esquemas de corrupção no Estado, fora condenado a uma pena de mais de 21 anos de prisão, por peculato e lavagem de dinheiro, em sentença relativa a desdobramentos da Operação Arca de Noé.

Cuidar-se-ia de uma promessa de que a Operação Ararath seria anulada perante o Tribunal Regional Federal da 1ª Região, cumulada com um conselho para ‘evitar o caminho trilhado por José Geraldo Riva, que, segundo o Senador, havia confessado crimes, e mesmo assim foi condenado a penas altas

Na ocasião, Cidinho também teria prometido a Silval uma ação no sentido de anular a Operação Ararath no Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

“Sustenta o MPF que Blairo Maggi teria enviado seu suplente, o senador José Aparecido dos Santos, como emissário de uma mensagem para Silval Barbosa, no presídio onde estava preso”, diz trecho da decisão.

“Cuidar-se-ia de uma promessa de que a Operação Ararath seria anulada perante o Tribunal Regional Federal da 1ª Região, cumulada com um conselho para evitar o caminho trilhado por José Geraldo Riva, que, segundo o Senador, havia confessado crimes, e mesmo assim foi condenado a penas altas” (fls. 26/27)”, afirmou o ministro.

Na decisão, Fux lembrou ainda que o diálogo entre Silval e Cidinho foi gravado pelo ex-governador.

O áudio foi entregue ao Ministério Público Federal, em mídia juntada à delação do ex-governador, já homologada pelo STF.

“O Procurador-Geral da República sublinha que a fala final do diálogo indica que José Aparecido dos Santos falava em nome do atual Ministro da Agricultura”, afirmou Fux.

Na decisão em que decretou o cumprimento de mandado na casa de Cidinho, Fux afirmou que pesa contra ele indícios de "cometimento de crime de obstrução de investigação".

O ministro autorizou ainda o cumprimento de diligências em veículos potencialmente utilizados pelo senador.

“Fica autorizada a apreensão de documentos de qualquer natureza e livros contábeis, formais ou informais, recibos, agendas, ordens de pagamento e quaisquer outros elementos de prova relacionados aos ilícitos narrados nesta manifestação, notadamente aqueles que digam respeito à manutenção e movimentação de contas bancárias no Brasil e no exterior, em nome próprio ou de terceiros”, cita a decisão.

Por fim, o ministro Luiz Fux autorizou a apreensão de valores em espécie, seja moeda nacional ou estrangeira, que totalizem valor igual ou superior a R$ 30 mil, bem como outros objetos relacionados aos fatos, que "suscitem suspeita de constituírem produto de lavagem de dinheiro".

Leia mais sobre o assunto:

Polícia Federal dá batida em gabinetes de 7 deputados estaduais

Janot pediu para afastar 2 prefeitos, 7 deputados e 4 suplentes

Dono de jornal é alvo de operação da Polícia Federal

PF cumpre 64 mandados contra Maggi, Assembleia, TCE e Emanuel

STF afasta cinco conselheiros do TCE; expediente foi suspenso

Gabinete e casa de Emanuel são alvos de busca e apreensão da PF 

Secretário e irmãos empreiteiros também são alvos da PF


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
11.12.17 08h45 » Nadaf: crédito fiscal à Concremax quitou dívida de Chico Daltro
10.12.17 15h20 » STF reserva julgamentos polêmicos para semana pré-recesso
09.12.17 11h07 » STF mantém sessão da Assembleia que aprovou Plano Plurianual
08.12.17 15h00 » Nadaf diz que ajudou Malouf a tentar “vender facilidades” na atual gestão
07.12.17 08h34 » Ministro do STF libera Andrea Neves de prisão domiciliar
07.12.17 08h34 » Fux nega novo recurso e mantém afastamento de Sérgio Ricardo
06.12.17 14h19 » Conselheiro pede que Rolex informe dados para recurso no STF
05.12.17 10h40 » STF barra acesso de ex-executivo de banco a inquérito sigiloso
04.12.17 11h10 » Fux afirma que Novelli não provou origem lícita e nega devolução
04.12.17 09h34 » Por 9 votos a 2, STF mantém Sérgio Ricardo afastado do TCE-MT



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet