Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
STF / PRIVATIZAÇÃO DE RODOVIAS

Tamanho do texto A- A+
11.09.2017 | 16h20
Silval confessa ter recebido R$ 1 milhão da Odebrecht
Ex-governador diz, em delação premiada, que utilizou o dinheiro para pagar dívidas de campanha
Alair Ribeiro/MidiaNews
O ex-governador Silval Barbosa, que firmou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) confessou, em acordo de delação premiada, ter recebido R$ 1 milhão da empresa Odebrecht para pagamentos de dívidas de campanha.

Segundo Silval, em troca, o Governo concedeu, de forma rápida, as licenças ambientais para a empresa executar as obras de privatização das BRs 364 e 163, do trecho que liga a divisa do Mato Grosso do Sul até o Município de Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá).  

A Odebrecht ganhou a licitação feita pelo Governo Federal para administrar as rodovias, em 2013.

Conforme o ex-governador, tudo começou em 2010, quando recebeu no Palácio Paiaguás a visita do então diretor de saneamento da Odebrecht, Alexandre Barradas.

Que diante de sua solicitação Alexandre Barradas entregou para o declarante o montante aproximado de R$ 1milhão, não se recordando a forma como essa entrega ocorreu, contudo afirma que referida doação não foi contabilizada

Na ocasião, segundo Silval,  Barradas fez uma exposição da empresa dizendo que tinha interesse em voltar a trabalhar em Mato Grosso e que gostaria de conhecer a política de saneamento do Estado.

“Que o Declarante explicou que o Estado tinha uma agência de saneamento, mas que estava em fase final de liquidação chamada ‘Sanemat’; Que o Barradas confidenciou ao declarante que possuía interesse em explorar através de concessões o saneamento e reciclagem de lixo em alguns municípios, oportunidade em que o declarante se colocou à disposição no que pudesse ajudá-lo”, diz trecho da delação.

O ex-governador disse que chegou a marcar reuniões com alguns prefeitos para Barradas, mas que apesar de terem firmados contratos, o projeto não prosperou.

Meses depois, segundo Silval, Barradas o procurou novamente, mas desta vez para falar do interessa que a empresa tinha em participar do edital de licitação da concessão das BRs 364 e 163 e que, para tanto, gostaria de conhecer o potencial econômico de Mato Grosso.

“Que nessa reunião o declarante fez uma exposição do Estado com foco em todas as áreas, com destaque no agronegócio, com as expectativas do crescimento da região Norte e região do Araguaia”, diz outro trecho da delação.

A Odebrecht, então, conforme Silval, participou dessa licitação realizada pelo Governo Gederal, sagrando-se ao final vencedora.

O ex-governador esclareceu que, após vencer o certame, Barradas agendou uma outra reunião com ele, para mostrar o projeto de como as BRs 364 e 163 ficariam após a construção.

Nesse referido encontro, a  Odebrecht pediu a Silval para que o órgão ambiental estadual “desse uma atenção especial na licença ambiental necessária para execução do projeto, eis que o Governo Federal havia delegado a competência para realização de tal licença ao Governo estadual”.

Para "ajudar" a empresa, Silval pediu a Barradas um auxílio financeiro a fim de quitar o restante de sua dívida de campanha eleitoral.

  

“Que diante de sua solicitação Alexandre Barradas entregou para o declarante o montante aproximado de R$ 1 milhão, não se recordando a forma como essa entrega ocorreu, contudo afirma que referida doação não foi contabilizada”, concluiu o ex-governador.

 

Veja fac-símile do depoimento: 

 

 

 

 

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
11.12.17 08h45 » Nadaf: crédito fiscal à Concremax quitou dívida de Chico Daltro
10.12.17 15h20 » STF reserva julgamentos polêmicos para semana pré-recesso
09.12.17 11h07 » STF mantém sessão da Assembleia que aprovou Plano Plurianual
08.12.17 15h00 » Nadaf diz que ajudou Malouf a tentar “vender facilidades” na atual gestão
07.12.17 08h34 » Ministro do STF libera Andrea Neves de prisão domiciliar
07.12.17 08h34 » Fux nega novo recurso e mantém afastamento de Sérgio Ricardo
06.12.17 14h19 » Conselheiro pede que Rolex informe dados para recurso no STF
05.12.17 10h40 » STF barra acesso de ex-executivo de banco a inquérito sigiloso
04.12.17 11h10 » Fux afirma que Novelli não provou origem lícita e nega devolução
04.12.17 09h34 » Por 9 votos a 2, STF mantém Sérgio Ricardo afastado do TCE-MT



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet