Artigos
  • VILSON NERY
    Li as propostas dos três candidatos, e separei as palavras “agricultura” e agronegócio” em seu contexto no plano de governo, para dar qualidade à minha pretensão
  • JOÃO PAULO OLIVEIRA
    No processo eleitoral atual há uma enorme preocupação com relação a informações falsas que são passadas no que tange a uma série de situações e candidatos
STF / ELEIÇÃO DE 2014

Tamanho do texto A- A+
08.09.2017 | 08h40
Silval: Riva pediu R$ 7 milhões ou credores queimariam comitê
Em delação, ex-governador diz que Maggi foi avalista de empréstimo com Piran e pagou dívida de ex-deputado
MidiaNews
O ex-deputado estadual José Riva, citado na delação de Silval Barbosa
DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) revelou que o ex-deputado estadual José Riva pediu a ele R$ 7 milhões para quitar dívidas da candidatura ao Governo do Estado de Janete Riva, em 2014.

Segundo Riva, os credores ameaçavam “queimar os comitês de campanha” de sua mulher.

A revelação consta no acordo de delação premiada firmado entre Silval e a Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologado pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), em 9 de agosto.

Silval disse que Riva o procurou quatro dias antes da disputa eleitoral, pedindo que o então governador fosse à sua casa. Lá, o deputado pediu recursos financeiros para pagar os fornecedores de campanha.

Silval disse na delação que Riva estava “desesperado”.

“(...) Que ao chegar no local estavam presentes Celson Bezerra e José Riva, sendo que Riva estava desesperado, pois precisava de recursos financeiros para pagar os fornecedores de campanha, bem como os cabos eleitorais que estavam trabalhando na campanha de Janete Riva (esposa de Riva), pois os credores estavam ameaçando queimar os Comitês de campanha”, disse, em trecho da delação.

(...) Que o declarante [Silval Barbosa] se recorda que, nessa oportunidade ,José Riva pediu R$ 7 milhões emprestados ao declarante

“(...) Que o declarante [Silval Barbosa] se recorda que nessa oportunidade José Riva pediu R$ 7 milhões emprestados ao declarante, sendo que diante da negativa, José Riva ligou para Valdir Piran, pedindo a este que emprestasse a quantia”, afirmou.

Segundo Silval, Riva disse a Valdir Piran que o ex-governador seria o avalista do empréstimo, mas o empresário não aceitou. Foi então que o deputado ligou para o senador Blairo Maggi.

“(...) Que José Riva disse a Valdir Piran que o declarante seria avalista da operação, tendo Piran respondido que não aceitaria o declarante como avalista. Que ante a recusa, José Riva ligou para Blairo Maggi, que estava em sua propriedade na cidade de Sapezal, sendo que Riva informou o ocorrido a Blairo, dizendo ainda que teria lhe ajudado muito no governo passado e garantiu que pagaria esse empréstimo”, disse Silval.

“(...) Que após muita insistência Blairo Maggi concordou, pedindo para Riva entrar em contato com Valdir Piran, sendo que era para Piran ligar para Blairo para confirmar o aval, o que acabou acontecendo, tendo Blairo avalizado verbalmente tal dívida de José Riva”, afirmou.

Ainda de acordo com Silval, o empresário, então, foi até a casa de Riva. Lá, pediu a Silval que assinasse a nota promissória de R$ 7 milhões como avalista. Que este seria um pedido do próprio Blairo.

“(...) Que no local, Valdir Piran pediu para o declarante assinar a nota promissória no valor de R$ 7 milhões, pois Piran disse que havia conversado com Blairo, que pediu para o declarante avalizar, pois Blairo garantiria o pagamento se não fosse honrado por José Riva; Que o declarante assinou a nota promissória após muita insistência de Riva para resolver a situação”, disse.

Maggi quitou dívida

Ainda de acordo com Silval, a nota promissória venceu sem que Riva tivesse quitado o débito com o empresário.

Piran, então, procurou Silval para pedir o retorno do dinheiro que pagou as dívidas de campanha de Janete Riva.

Silval pediu para o empresário procurar Riva ou Blairo Maggi. Segundo o delator, em 2015, soube que Maggi pagou a dívida.

“(...) Que o declarante tem conhecimento que Valdir Piran cobrou tal débito com Blairo Maggi, que acabou pagando a dívida, sendo que o declarante tem ciência do pagamento em razão do próprio Blairo Maggi ter-lhe confidenciado no ano de 2015”, completou.

Veja trechos da delação:

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2018
19.09.18 17h43 » Dias Toffoli diz que STF terá atuação 'mais discreta possível'
19.09.18 09h33 » Supremo absolve Renan Calheiros da acusação de peculato
18.09.18 17h18 » Ministro do STF Luís Roberto Barroso prorroga inquérito dos portos
17.09.18 17h22 » "Presidenciável 'sempre foi eleito' pelas urnas eletrônicas", rebate ministro
17.09.18 11h25 » Sachetti é acusado de alienar área pública; STF remete ação ao TJ
17.09.18 11h20 » Toffoli diz que 'dificilmente' prisão de Lula será derrubada por recurso
14.09.18 17h25 » Lewandowski paralisa julgamento em que Lula perdia por 7 a 1
14.09.18 16h26 » 'Não somos mais nem menos que os outros poderes', diz Dias Toffoli
14.09.18 15h55 » Perícia diz que Maggi não apagou mensagens de celular
13.09.18 09h53 » Gilmar Mendes vê 'notório abuso de poder' e pede 'freios'



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet