Artigos
  • FRANCISCO BRITO JUNIOR
    Os partidos pequenos precisam traçar estratégias para continuar sua existência por meio de registro de candidatos com força eleitoral
  • ANTONIO SÉRGIO PITOMBO
    Este tipo de profissional do Direito engana a si mesmo e a seus clientes
  • JOSÉ RENATO CORDOVEZ
    MT e outros Estados erraram ao instituir tarifas sobre a base de cálculo da energia elétrica
  • LUIZ FLÁVIO GOMES
    Depois de uma devastadora recessão econômica e uma série de instabilidades políticas, vivemos uma ressaca dramática
T. Superiores / EX-DEPUTADO

Tamanho do texto A- A+
19.01.2018 | 17h02
Ministra do STJ nega pedido de Cunha para ser transferido para Brasília
Ex-presidente da Câmara está preso em Curitiba desde 2016
Folhapress
O deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
DO G1

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Laurita Vaz, negou um pedido do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para que ele fosse transferido de Curitiba (PR) para um presídio em Brasília. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (19) pela assessoria do tribunal.

Ex-presidente da Câmara, Cunha foi preso em outubro de 2016 por determinação do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância. À época, Cunha já havia tido o mandato cassado pela Câmara.

Segundo o STJ, o ex-deputado pediu a transferência para Brasília argumentando que a família dele mora na capital.

A defesa de Cunha também alegou, ainda de acordo com o tribunal, que o peemedebista é réu em um processo na 10ª Vara Federal do Distrito Federal e, por isso, deveria ser transferido.

A Justiça de Brasília já havia negado um pedido semelhante de Cunha, em novembro do ano passado.

Na ocasião, o juiz substituto da 10ª Vara Ricardo Augusto Soares Leite informou ter tomado a decisão porque Moro negou transferir o ex-deputado em razão da influência política de Cunha.

"Segundo a ministra [Laurita Vaz], o requerimento de transferência definitiva foi indeferido pelo juiz do DF, entre outros motivos, devido aos indícios de influência política do ex-deputado para obtenção de vantagens indevidas e pelo fato de que sua influência em Curitiba seria menor do que em Brasília ou no Rio de Janeiro", informou o STJ.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Fevereiro de 2018
13.02.18 09h08 » Candidatos poderão financiar com recursos próprios, diz TSE
11.02.18 17h10 » STJ decidirá se mantém bloqueio de R$ 4 milhões contra Maggi
08.02.18 14h37 » Fux diz que TSE pode reavaliar possibilidade de político ficha suja se candidatar
03.02.18 11h35 » STJ "barra" viagem de procurador ao RJ para acompanhar neto doente
02.02.18 15h23 » STJ rejeita maioria dos recursos contra condenações criminais
Janeiro de 2018
31.01.18 10h20 » Ministro do STJ nega pedido da defesa para evitar que Lula seja preso
19.01.18 17h02 » Ministra do STJ nega pedido de Cunha para ser transferido para Brasília
17.01.18 10h06 » Superior Tribunal de Justiça abre concurso para técnico e analista
13.01.18 09h31 » STJ mantém prisão de mãe que matou recém-nascido por asfixia
10.01.18 09h07 » Empresário investigado em operação da PF continuará preso



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet