Artigos
  • RENATO GOMES NERY
    O Brasil é o paraíso para se levar vantagem em tudo; tudo é negociado
  • VICTOR MAIZMAN
    De forma absurda é preciso criar órgãos para fiscalizar os órgãos de fiscalização
T. Superiores / GRAMPOS ILEGAIS

Tamanho do texto A- A+
02.10.2017 | 15h47
Defesa vai ao STJ e tenta liberdade de secretário de Justiça
Habeas corpus em favor de Airton Siqueira foi protocolado no último sábado e será julgado pelo ministro Ribeiro Dantas
Alair Ribeiro/MidiaNews
O coronel Airton Siqueira, que está preso Academia de Polícia Costa Verde
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

A defesa do secretário afastado de Justiça e Direitos Humanos, coronel Airton Siqueira, ingressou com um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) na tentativa de obter sua liberdade.

Siqueira está preso na Academia de Polícia Costa Verde desde a última quarta-feira (27), quando foi deflagrada a Operação Esdras, da Polícia Civil, que apura o esquema de grampos ilegais operado em Mato Grosso.

O pedido de liberdade foi protocolado na manhã do último sábado (30) pelos advogados Jerferson Santana da Silva e Victor Thiago Marques Ochiucci. 

O ministro Ribeiro Dantas é quem irá apreciar o pedido.

Por ora, a defesa afirma que, a pedido do secretário, não irá se manifestar sobre o conteúdo do HC.

Siqueira é acusado pela Polícia Civil de participar de um plano para tentar obstruir as investigações sobre a chamada "grampolândia pantaneira".

Sua prisão foi requerida pela delegada Ana Cristina Feldner, responsável pelo inquérito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso que apura o caso, e decretada pelo desembargador Orlando Perri.

No dia em que foi deflagrada a operação, o governador Pedro Taques (PSDB) anunciou o afastamento do secretário que, por enquanto, é substituído por Fausto Freitas.

Operação Esdras

A operação Esdras desbaratou o grupo acusado de montar uma estratégia para atrapalhar as investigações relacionadas aos grampos ilegais e obter a suspeição do desembargador Orlando Perri, que conduz o caso.

Além de Siqueira, também foram presos na operação o então secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas - já exonerado -, os ex-secretários Paulo Taques (Casa Civil) e Evandro Lesco (Casa Militar). 

Tiveram a prisão decretada ainda a personal trainer Helen Christy Carvalho Dias Lesco, esposa de Lesco; o major Michel Ferronato; o sargento João Ricardo Soler e o empresário José Marilson da Silva.

O nome da operação é uma referência ao personagem Esdras ("Aquele que ajuda, Ajudador, Auxiliador"), da tradição judaico-cristã. Ele liderou o segundo grupo de retorno de israelitas que retornaram de Babilónia em 457 a.C. . Descendente de Arão, o primeiro Sumo Sacerdote de Israel, Esdras era escriba (copista da lei de Moisés) entendido na lei de Moisés.

Leia mais sobre o assunto:

Taques se diz “perplexo” e afasta secretário preso por grampo

Policia Civil cumpre mandado de prisão de secretário de Justiça


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Fevereiro de 2019
15.02.19 09h56 » STJ condena repórter que atuou em Cuiabá a indenizar Mendes
08.02.19 15h33 » Condenado, desembargador vai cumprir pena em prisão comum
05.02.19 17h05 » STJ manda soltar funcionários da Vale e engenheiros presos
01.02.19 09h04 » Presidente do STJ manda soltar ex-governador Beto Richa
Janeiro de 2019
30.01.19 08h37 » Pedido de liberdade de médium deve ser analisado pelo STJ
04.01.19 17h45 » STJ nega habeas corpus e mantém prisão de ex-adjunto da Saúde
Dezembro de 2018
27.12.18 14h31 » Foragido, ex-secretário usa soltura de 5 investigados para tentar HC
10.12.18 11h13 » Deixar de pagar férias antes do período gera pagamento em dobro
06.12.18 17h26 » Palácio Guanabara é da União, e não da família imperial, decide STJ
06.12.18 15h08 » TSE invalida votos de Fabris e Kardec fica com a vaga na AL



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet